Integrar os ambientes, ou não? Eis a questão! Confira as vantagens e desvantagens de unir a cozinha, sala e varanda

Cozinha, sala e varanda integradas. O que já era uma realidade presente em muitos projetos, com a pandemia foi reforçada: a necessidade de unificar os ambientes da residência. A ideia de estar na companhia da família, cozinhar em casa e se conectar com as pessoas, para muitos ficou ainda mais prazeroso depois desse conceito de projeto.

Já foi mais que provado que a unificação dos ambientes sociais da casa proporciona, além de uma maior amplitude, interação familiar. “Ao fazer uma reunião familiar, por exemplo, enquanto um está cozinhando, outro está na sala brincando, e ao mesmo tempo tem gente no espaço gourmet e todo mundo interagindo”, disse a designer de interiores Patrícia Davel.

Declarada fã da integração dos ambientes, a profissional defende essa ideia em seus projetos, sempre que possível. Ela deu dicas importantes para quem pensa em investir nesse modelo de moradia.

Quero integrar, mas por onde começar?

O primeiro passo para quem sonha ter uma residência com ambientes integrados é pensar no seu perfil, no seu estilo de vida. Unir ambientes exige que o proprietário do imóvel seja mais organizado. “Imagine uma pessoa recebendo visitas em casa, com a pia lotada de panelas e louças. Agora pense nisso tudo, exposto na sala”, comentou Patrícia.

A designer de interiores também destaca a avaliação do espaço, já que nem todas as plantas de imóveis favorecem essa união de ambientes. “Não podemos sair derrubando qualquer parede, é preciso uma avaliação técnica. Tem que ser aprovado, tem que ser estudado”, destacou a profissional.

Outro ponto importante é o piso nivelado, o que em alguns casos pode representar mais uma intervenção de obra, e não simplesmente uma retirada de portas.

Integrado e harmonizado

A integração não é só quebrar paredes e abrir os espaços, é importante integrar também a decoração. “O ideal é harmonizar os ambientes. Criar uma harmonia, que seja nos tons, nas texturas”, enfatizou Patrícia.

Podemos ter como exemplo esta residência na Serra, ES, que contou com projeto da profissional. Observe que cozinha gourmet, sala de tv, estar, jantar e até o SPA foram integrados com uma mesma linguagem visual. Um ambiente moderno, com toques rústicos.

Integrado sim, mas setorizado

A circulação é extremamente importante em ambientes integrados. Ela influencia na demarcação dos espaços. Um detalhe que ajuda nessa setorização é a iluminação.

“Com a própria iluminação eu já consigo indicar onde serão os ambientes. Com a iluminação eu pontuo a circulação, chamo a atenção para determinado móvel, faço a marcação do jantar… É uma grande estratégia de setorização”.

Patrícia ainda destaca a utilização de tapetes como demarcação de espaços e a utilização de móveis específicos que permitem um acabamento. “Com a ausência de algumas paredes, é comum usarmos móveis para demarcar alguns espaços. Então é preciso ter uma preocupação a mais com a estética, com o design do móvel e com o fundo dele, que vai ficar exposto. Caso contrário você mata o seu ambiente”.

A designer de interiores ilustra esse exemplo com a escolha das poltronas de palhinha. Quem chega no ambiente já se depara com os fundos dela. Um detalhe a mais que teve que se preocupar para que o móvel não de tornasse um obstáculo visual.

O projeto também contempla um SPA integrado na sala. Mas por se tratar de uma área externa a estratégia da profissional foi utilizar uma porta de vidro transparente que possibilita uma abertura completa, quando necessário. Dessa forma, até nos momentos em que a porta se encontra fechada, ainda existe a integração visual.

Funcionalidade

Para que a integração possa valer a pena é importante prezar pela funcionalidade do ambiente. Muitas pessoas tem o receio de integrar, por exemplo, a cozinha com a sala por conta da gordura e do cheiro dos alimentos. Para isso, existem no mercado equipamentos potentes. Esse tipo de integração exige um bom investimento para que não prejudique a funcionalidade da casa. Caso contrário, ao invés de usufruir dos benefícios, a integração poderá te trazer aborrecimentos.

Neste apartamento, em Venda Nova do Imigrante, interior do Espírito Santo, Patrícia integrou sala, cozinha e varanda, mas para isso foi indispensável o investimento em uma coifa potente para evitar a propagação da gordura pelos ambientes da casa.

Em alguns casos, dependendo da planta do imóvel, a designer de interiores também indica como solução uma porta de correr, que possibilita o isolamento da cozinha, quando necessário.

Vantagens x Desvantagens
  • Amplitude dos espaços
  • Maior convívio e interação com a família
  • Esse tipo de projeto pede um morador com perfil mais organizado.
  • Integrar os ambientes pode representar alguns custos as mais com equipamentos que ficarão expostos à sala.
  • Para momentos de trabalho e estudo é ideal projetar um ambiente reservado para evitar distrações

Agora que você ficou por dentro das vantagens e desvantagens desse modelo de moradia. Conte para gente, integração de espaços combina com você, ou não?

2 Respostas para “Integrar os ambientes, ou não? Eis a questão! Confira as vantagens e desvantagens de unir a cozinha, sala e varanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *