Gestação para pets: cuide bem das mamães

Gestação para pets

Apesar de atualmente a castração ser um procedimento considerado comum, muitos tutores decidem por permitir a gestação de suas cadelas e gatas. Com acompanhamento constante, é possível passar por essa fase sem maiores complicações, preservando a saúde da mamãe e filhotes.

Os cuidados com a fêmea devem começar antes mesmo da gestação, no momento da escolha do macho e na verificação do estado de saúde da futura mamãe – vacinas e vermífugo em dia não podem faltar. A gestação para elas é relativamente curta (em torno de 60 dias desde o acasalamento até o nascimento), mas ainda assim, o pré-natal cumpre importância muito grande. Não serão necessários muitos exames: o especialista geralmente solicita exames de sangue (hemograma, bioquímicas hepáticas e renais) e por volta de dois ou três ultrassons. Aos sinais de distocia (trabalho de parto prolongado ou ausência de sinais de parto), é necessário um terceiro exame de imagem para analisar o estado dos fetos e decidir pela melhor forma de realizar o parto.

A veterinária do SOS Hospital Veterinário Jyzana Arantes considera que um simples hemograma pode ser crucial para as futuras mamães. “Doenças simples mas importantes, como a erlichiose (transmitida pela picada do carrapato e muito comum em nosso estado), levam à má formação fetal, morte fetal e partos distócicos. Muitas vezes a mãe não apresenta nenhum sinal clínico, não apresenta alterações de comportamento ou de apetite, mas está portando a doença, que é transmitida para os fetos via placenta e leva a prejuízos para mãe e ninhada”, esclarece.

Com relação ao esperado momento do parto, é importante ressaltar que é comum em alguns casos o parto normal não ser uma opção viável. “Algumas raças raramente tem parto normal devido às suas características anatômicas, como os braquicefálicos (pugs, buldogues, shih tzus, entre outros), que possuem cabeça grande e larga, dificultando ou impossibilitando a saída dos filhotes pelo canal do parto”, lembra Jyzana. Nestes casos, o tutor deve ter planejamento prévio para saber onde levar sua cadelinha em caso de uma cesariana de urgência. A clínica ou hospital veterinário deve possuir bons equipamentos e equipe competente e numerosa, já que na mesa de cirurgia são necessários em torno de quatro profissionais e após o parto cesárea, os filhotinhos necessitam de cuidados especiais como aquecimento e oxigenioterapia.

Com todos estes cuidados, a chance de sobrevivência da ninhada chega a 70%. Depois, é só mimar a nova mamãe e dar muito carinho aos bebês que chegarem! 💝

Um comentário em “Gestação para pets: cuide bem das mamães”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *