Pets auxiliam na terapia de crianças com síndrome de down

Pets auxiliam na terapia de crianças com síndrome de down

Já comentamos em como a companhia de cães e gatos podem ser benéficas para a saúde e bem-estar dos seres humanos por meio da bichoterapia. Com eficiência que se comprova cada vez mais em bons resultados, agora, os pets auxiliam na terapia de crianças com síndrome de down, tornando o tratamento mais atraente e leve para os pequenos.

Vantagens do tratamento

A convivência com os animais estimula brincadeiras que favorecem os exercícios e melhoram os movimentos e as funções motoras. Jogar a bolinha, colocar e tirar roupinhas que contém zípers e botões auxiliam nesse quesito. A comunicação também é exercitada, podendo melhorar também a fala e a linguagem.

Além disso, o tratamento é altamente eficaz com crianças por conta da diversão em forma de terapia. Crianças com síndromes estão acostumadas com rotinas de exames e tratamentos para manter a qualidade de vida, mas a terapia com pets é vista como um momento de descontração.

A ajuda vem em forma de brincadeira, o que torna o tratamento bem mais atraente. 

Os pet-terapeutas

Os animais são o diferencial do tratamento, e por isso necessitam de uma atenção especial. Antes de serem inseridos no ambiente junto às crianças, os cães e gatos precisam passar por uma avaliação que inclui tanto um médico veterinário, quanto o responsável pela terapia.

É necessário que os pets sejam dóceis, saibam lidar com crianças, toques e barulhos sem que isso os estresse. Geralmente se tratam de tutores voluntários, que levam seus animais para participar das sessões de terapia. Além de uma boa ação que será benéfica a várias crianças, muitos cães também se divertem durante o tratamento.

Se você passa o dia todo fora e tem um cão que se encaixe nos requisitos, que tal o voluntariar alguns dias da semana para brincar com as crianças? No final das contas, todos saem ganhando!

2 Respostas para “Pets auxiliam na terapia de crianças com síndrome de down

    1. Olá, Philipi! Tudo bem? A Universidade de Vila Velha mantinha um programa como esse. Orientamos que procure a instituição para se voluntariar!
      Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *