O DENGO DO REPÓRTER WASLEY

WASLEY E O SEU GUCCI 

 

Hoje vamos contar a história de amor do nosso repórter Wasley Leite com o seu cachorrinho fofo !!

“Quando criança, uns 6 anos, ganhei meu primeiro dog, Maradona. Era um vira lata, tenho poucas lembranças da cor, rosto dele, mas lembro que era muito obediente. Só que determinado dia, quando acordei ele havia morrido. Chorei muito com a despedida dele. Depois de um tempo ganhei outro, o oposto do maradona, não lembro o nome desse segundo. Ele comia tudo que via pela frente, inclusive a tomada da máquina de lavar da minha mãe, aí foi o fim. Minha mãe deu ele, mas disse que ele tinha fugido de casa. Os anos foram passando e fui me distanciando desse amor por dog. Ah!, já tive periquito, porco da índia, passarinhos… Com o tempo, não sei porque, fui ficando com medo de cachorro. E falava sempre: “Nunca quero cachorro em casa, quando me verem na rua catando o número 2 de um, podem me internar”. Mas há 2 anos conheci a Celine, um lady, da minha amiga Dayane Barros, tinha medo dela, mas certa vez dormi na casa dela e acordei com Celine dormindo ao meu lado. Falo que ela me enfeitiçou e passei a ama-la. Ela passou alguns dias aqui em casa e sempre pedia Dayane ela pra mim, claro que ela negava. No final do ano passado, ela disse que a filha dela, Manuela, 4 anos, queria me dar um desenho que tinha feito e uma lembrancinha de natal, Manu me chama de “tio arrasany”.

Fui até a casa delas e Manu chegou com uma caixa de uma famosa marca de roupas e sapatos, Gucci. Quando abri era um dog. Fiquei surpreso e não entendi. Foi aí que elas falaram que era meu presente de natal. Quando peguei ele no colo, senti algo muito diferente, e ali ele passou a ser meu filho, e já foi batizado com o nome Gucci.

 Nunca imaginei na minha vida amar um pet como amo esse bebê. Minha família toda, que mora em Conceição do Castelo, passou a ama-lo também. Ele só dorme comigo, e sinto um amor enorme por ele. Por vezes como ele está dormindo fico olhando pra ele e choro. Quando vou comprar algo pra mim, fico pensando nele.. em comprar brinquedos pra ele, objetivos de viagem…Coisa de pai… Quando ele foi no pet pela primeira vez, chorei muito, meu coração doeu quando tive que deixa-lo sozinho. Ele é meu companheiro  de assistir aula on-line. De dançar na sala de casa.. Dá um pouco de trabalho e gastos, mas não consigo me imaginar sem ele. “

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *