Dica de leitura: 4 livros que falam sobre a paixão pelos livros

Que eu amo livros, isso não é segredo, mas tem muito autor que usa essa paixão como ponto de partida para algumas boas histórias também. Pensando nisso, trouxe como dica de leitura hoje quatro livros que os protagonistas foram transformados pela paixão pelos livros. Claro que temos muitas obras, mas usei como critério para a lista de hoje serem ficção com uma leitura bem fluida e agradável e meu amor próprio, já que são livros que eu indico (hehe).

Ah, estão separados por gênero também. Vem ver:

Dicas de leitura de hoje

A menina que roubava livros – Markus Zusak

Gênero: Drama

Páginas: 522

Editora: Intrínseca

Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Eis um livro com uma história intensamente avassaladora, que me deixou com uma ressaca literária terrível. Me lembro até hoje de passar pelo terminal do Transcol em Carapina aos prantos (quem me ouviu na Roda de Livros da Jovem Pan falando sobre a Biblioteca Transcol sabe do que estou falando, rs).

Quem nos conta a história de Liesel Meminger é ninguém menos do que a morte, que, nesse caso, revela-se uma boa narradora. O livro se passa entre 1939 e 1943, durante a Segunda Guerra Mundial, quando Hitler incendiava livros. Liesel e o irmão são enviados pela mãe, uma comunista perseguida pelo nazismo,  para serem adotados por uma família em troca de dinheiro.

Porém seu irmão morre no trajeto e o coveiro deixa cair um livro, que Liesel acaba surrupiando. Esse se torna o primeiro de muitos e uma ligação especial da menina com sua família. O pai adotivo de Liesel a ensina a ler e então ela passa a se refugiar nos livros.

O trabalho do escritor australiano Markus Zusak é fantástico, pois ele faz uma pesquisa histórica perfeita e aborda a idolatria a Hitler na Alemanha nazista. Ler “A menina que roubava livros” é um verdadeiro mergulho pela história. Isso sem contar os fatos que deixam a própria Morte impressionada com a crueldade humana. Super recomendo essa leitura, de preferência com uns lencinhos perto.

A pequena livraria dos sonhos – Jenny Colgan

Gênero: Comédia romântica/Romances de hoje

Páginas: 318

Editora: Arqueiro

Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Leia “A pequena livraria dos sonhos” após “A menina que roubava livros”, pois ele é ótimo para curar ressaca literária (para quem não sabe, ressaca literária é aquele sentimento quando você fecha o livro, mas fica dias remoendo e sofrendo com a história).

Nesse delicioso romance da autora queridinha Jenny Colgan, conhecemos Nina Redmond, uma bibliotecária que tem sempre as melhores sugestões de livros para as pessoas. Ela só sabe fazer isso na vida, o que é muito bom para quem trabalha em uma biblioteca.

O problema é que a biblioteca vai fechar e, como falei, Nina só sabe indicar livros para as pessoas. Ela faz isso e não quer fazer outra coisa na vida. Por ela tudo continuaria assim, mergulhada em seus livros, mas a verdade é que Nina agora tem se de virar para recomeçar.

É aí que ela encontra um anúncio que chama sua atenção: uma van que ela pode transformar em uma livraria volante e levar livros até às pessoas. Mas isso em outro país! Contrariando o que todos pensavam dela, a começar pelo seu tamanho “frágil”, Nina se aventura numa nova jornada que ela nunca pensou ser capaz de trilhar. Movida pelo sonho que ela ainda mal sabe como colocar em prática e por uma possível crise dos 30 anos, ela muda de país e, sozinha, descobre que podia, sim, ir mais longe. E ela foi. E é lindo!

Romance, risada, emoção, tudo na dose certa. Sem ser demais e sem ser de menos. Aliás, esse é o estilo da Jenny Colgan, né? Delícia de leitura.

A pequena livraria dos corações solitários – Annie Darling

Gênero: Comédia romântica/Romances de hoje

Páginas: 418 páginas

Editora: Versus

Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Essa foi a leitura que mais dividiu minhas opiniões em 2020, porque eu amei a proposta de resgatar uma livraria histórica, porém falida. Achei muito fofo e verdadeiro o modo como a autora, Annie Darling, mostrou o amor da protagonista, Posy Morland, pelas histórias, especialmente românticas, e como os livros marcam gerações. Também achei legal o modo como a Posy foi lidando com seus traumas e suas perdas. Foi singelo e profundo. Isso sem contar a capa do livro, que é uma graça.

Entretanto, porém, contudo, todavia… o clichê passou do ponto e o resultado, na minha humilde opinião, é um mocinho que beira o surreal. Achei muito improvável alguém romântica como a Posy se apaixonar por alguém que ela insiste em chamar de grosso, mas na verdade é rude e extremamente desagradável.

Também achei a história deles arrastada e o final apressado. Fiquei à espera de conhecermos melhor o passado dele para ver algum trauma que “justificasse” tanta grosseria e nada. Foi um dos poucos romances que li e torci para a mocinha dar um pé no mocinho. Apesar disso, o livro foi bem recebido e, no geral, é uma boa leitura.

Fahrenheit 451 – Ray Bradbury

Gênero: Ficção científica

Páginas: 184

Editora: Globo Livros

Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Uma distopia para a vida, inclusive com resenha neste blog que vos fala (clica aqui para ver). Essa é uma das obras que eu costumo falar que deixam “o cérebro fritando”. Nesse clássico, considerado uma das ficções científicas mais importantes do século XX, a missão dos bombeiros não é apagar incêndio, mas atear fogo aos livros e às casas dos seus proprietários, que logo depois são presos. Livros são proibidos, crianças não são ensinadas a ler nem a pensar e ninguém questiona nada.

Guy Montag é um bombeiro profissional que há mais de dez anos tem a missão de queimar os livros e adora fazer isso. Até que ele conhece uma jovem de “pensamento livre” e, durante uma missão, uma senhora que prefere morrer queimada com os livros a abandoná-los. Esses dois fatos viram a cabeça de Montag e ele começa a se questionar: afinal, por que livros são ameaças para governos, especialmente os totalitários?

Numa busca desenfreada, Montag vai percebendo que, ao silenciar os livros, silencia-se também as ideias, o pensamento próprio e a capacidade de sentir. Essa é a “receita da felicidade”, a capacidade de pensar e sentir por si mesmo. É um super livro.

Diz se essa dica de leitura não está numa coisa linda? Adorei relembrar esses livros com vocês. E aí, já leram algum? Não deixem de me contar o que acharam, eu adoro saber e conversar com vocês sobre os livros que lemos. Estou também lá no Instagram, no perfil Livro Maravilha, e no programa Pan News Vitória, toda sexta-feira, às 11h, para mais dicas de leitura. Nos vemos por aqui e por lá.

6 Respostas para “Dica de leitura: 4 livros que falam sobre a paixão pelos livros

  1. Bom dia. Gosto muito de lê. Dessa lista já li A menina que roubava livros e a Pequena livraria dos sonhos. Sou bibliotecária aposentada. No momenti estou lendo Irmã de Louise Jensen. Estou gostando. Gostaria de dicas pois a Saraiva de onde moro fechou. Obrigada.

    1. Olá, Maria Angelica. Obrigada pelo seu comentário! Pois é, a Saraiva fechou quase 40 lojas no Brasil ano passado. Uma tristeza, né? Fica comigo por aqui que sempre rola dica boa de onde comprar livros!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *