Você prefere ser feliz ou ter razão?

As vezes o que precisamos é começar a ter atitudes significativas sem tanto ressentimentos ou reclamações, é fazer um marco zero do relacionamento, afinal ou estamos dispostos a mudar ou ficamos na zona de conforto, sofrendo ou causando sofrimento. E isso só vai acontecer se nos permitirmos a viver o novo, pessoas sábias e emocionalmente seguras são inclinadas a pedir perdão ou desculpas, independente se estão certas ou erradas, mas priorizam a estabilidade do relacionamento, ao contrário das pessoas que apresentam dificuldades para tal atitude são inseguras pela essência, e preverem preservar o ego do que se expor. Você prefere ser feliz ou ter razão? Responda a essa simples pergunta que irá saber o seu posicionamento.

Outra característica é a empatia, a sua capacidade de ser colocar no lugar do outro, seja observador do seu relacionamento, analise ele de fora, analise sob o ponto de vista do outro e por fim, pela sua ótica e sua perspectiva. A partir daí se estiver disposta (o) a identificar pontos de fracasso, e vitórias de fato está virando a “chave” para um relacionamento saudável. Essa é uma das “chaves” mais importante de tudo que há na vida, pois não é concordar com tudo ou simplesmente discordar. É desvendar o enigma, é saber que mesmo quando você estiver certo ou errado, poderá se expressar livremente em seu relacionamento, mesmo havendo críticas destrutivas. Segurança emocional é mais que uma decisão, na verdade é uma habilidade que podemos desenvolver.

Precisamos escolher avançar, viver o presente com ideais futuros. Pois como já diz uma música “Hoje o tempo voa, amor. Escorre pelas mãos. Mesmo sem sentir. Não há tempo que volte, amor…”. Vamos aproveitar o hoje, porque o amanhã nunca chega, ele sempre será amanhã. Tudo isso não significa que estamos blindados de sofrimento e problemas. Mas é a certeza que, desapegar da dor do passado, traz transformação, faz um movimento no presente com a certeza de um futuro melhor.

Sempre com novidades no @virginia.pelles 

2 Respostas para “Você prefere ser feliz ou ter razão?

  1. Gostei do artigo… o dificil é quando depois de anos de convivência tentando ir adiante, voltam aquelas velhas histórias do passado… acaba com qualquer vontade de empatia principalmente quando os filhos estão como jovens adultos e não estão quase presentes…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *