Após confrontos, presidente do Iêmen e rebeldes xiitas realizam conversações

Geral

Após confrontos, presidente do Iêmen e rebeldes xiitas realizam conversações

Redação Folha Vitória

Sanaa - O presidente do Iêmen, Abed Rabbo Mansour Hadi, e os rebeldes xiitas houthi negociavam nesta terça-feira em meio a um tenso cessar-fogo, um dia depois de pesados confrontos terem ocorrido na capital, matando pelo menos nove pessoas.

Os rebeldes houthis eram vistos pelas ruas de Sanaa a pé e em picapes com armamento antiaéreo. Numa demonstração de forma, eles também instalaram postos de verificação pela capital e nas proximidades da residência do primeiro-ministro, além de intensificar sua presença ao redor de outros prédios importantes, dentre eles a sede da inteligência.

Na segunda-feira, os houthis tomaram o controle da televisão e da agência de notícias estatal e entraram em confronto com soldados iemenitas nas proximidades do palácio presidencial. Testemunhas disseram que tiros de metralhadoras podiam ser ouvidos e disparos de artilharia atingiram as proximidades do palácio. No final do dia, um cessar-fogo foi estabelecido e durou a noite inteira, estendendo-se pela terça-feira.

Pelo menos nove pessoas morreram nos combates e 67 ficaram feridas, informou o ministro da Saúde iemenita, Nasser Baoum, à Associated Press. Os houthis e as forças de Hadi responsabilizam-se mutuamente pela violência de segunda-feira.

No palácio presidencial, Hadi e um conselheiro houthi reuniram-se nesta terça-feira para discutir a formação de uma comissão, composta por 85 integrantes, encarregada de redigir um esboço do documento sobre a futura federação do Iêmen, como estabelece o projeto de Constituição, informou o porta-voz do gabinete, Rageh Badi, por telefone à Associated Press.

Segundo a agência oficial de notícias Saba, Hadi também se reuniu com seus conselheiros e membros do principal organismo de segurança do país.

A reformulação da comissão vinha sendo adiada, embora seja parte de um acordo de paz intermediado pela Organização das Nações Unidas (ONU) fechado após a tomada de Sanaa pelos houthis.

O grupo rebelde acusa Hadi de violar o acordo ao convocar os atuais membros da comissão para uma reunião dias atrás. Os houthis retaliaram e sequestraram o principal auxiliar do presidente, Ahmed bin Mubarak, dando início aos confrontos de segunda-feira.

A tomada de poder dos houthis na capital e suas aspirações expansionista na região central do país - onde há o predomínio de sunitas - também ameaça transformar o atual conflito numa disputa sectária ao colocar sunitas contra xiitas. Fonte: Associated Press.