Syriza mantém liderança nas pesquisas de opinião antes de eleições na Grécia

Geral

Syriza mantém liderança nas pesquisas de opinião antes de eleições na Grécia

Redação Folha Vitória

Atenas - O partido opositor esquerdista Syriza mantém a liderança nas pesquisas de opinião a uma semana das eleições gerais na Grécia, em meio a sinais de que a incerteza política prejudica cada vez mais a economia do país.

Sondagem publicada ontem pelo jornal grego mostra que a vantagem do Syriza - que é contrário às medidas de austeridade impostas a Atenas por credores internacionais - em relação ao governista Nova Democracia aumentou para 3,1 pontos porcentuais, de 2,5 pontos uma semana antes. Essa foi a primeira vez que os esquerdistas ampliaram a liderança desde novembro.

Por outro lado, uma pesquisa separada publicada no jornal Avgi mostrou que a vantagem do Syriza diminuiu de oito para cinco pontos porcentuais na mesma comparação.

A coalizão governista da Grécia, formada pelo Nova Democracia e por seu parceiro socialista Pasok, foi obrigada a convocar eleições gerais antecipadas para o próximo dia 25, após não conseguir eleger um novo presidente em três votações no Parlamento em dezembro.

Pelas regras eleitorais gregas, o partido vencedor ganha automaticamente 50 assentos extras no Parlamento, que é composto por 300 integrantes, uma medida que tem como objetivo facilitar a estabilidade de um governo eleito. A maioria das pesquisas, porém, indica que o Syriza não conseguirá votos suficientes - mesmo com o bônus - para garantir maioria absoluta no Parlamento, situação que o forçará a buscar parceiros para formar uma coalizão.

Desde que a incerteza política voltou à Grécia, cresceu o debate sobre a possível saída do país da zona do euro, diante da postura do Syriza em relação às severas condições impostas por credores internacionais para ajudar Atenas com pacotes de resgate.

Os bancos gregos também começam a sofrer em meio a preocupações sobre condições mais estreitas de liquidez. Nos últimos dois meses, o sistema bancário do país perdeu cerca de 3 bilhões de euros (US$ 3,47 bilhões) em depósitos. Na sexta-feira, duas das maiores instituições financeiras gregas, o Eurobank Ergasias e o Alpha Bank, pediram acesso a uma linha de crédito emergencial do BC grego. Fonte: Dow Jones Newswires.