• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cheia do Rio Doce pode comprometer o abastecimento de água em Linhares

Geral

Cheia do Rio Doce pode comprometer o abastecimento de água em Linhares

Para proteger a barreira que impede o encontro da foz do Rio Pequeno com o Doce da chuva, equipes da Secretaria Municipal de Obras estão cobrindo a barragem 120 metros de lona

Abertura da foz do Rio Doce para evitar comprometimento da água potável fez com que a lama invadisse ainda mais o mar Foto: Ana Carolina Monteiro/TV Vitória

Além do prejuízo causado à população ribeirinha, com as inundações de bairros que já deixaram 14 famílias desalojadas, a cheia do Rio Doce pode comprometer o abastecimento de água em Linhares. Isso porque existe a possibilidade das águas carregadas de metais pesados provindos da lama que desceu pelo rio após o rompimento da barragem de Mariana (MG) ultrapassarem a barreira criada para isolar o Rio Pequeno, que atualmente é o principal fornecedor de água para o município.

De acordo com o secretário municipal de Meio Ambiente, Rodrigo Paneto, biólogos estão constantemente sobrevoando e visitando a barragem do afluente do Rio Doce, além das 69 lagoas situadas em Linhares, para evitar a contaminação dos ecossistemas lacustres. “As cheias são comuns, mas com a contaminação do rio, temos outros problemas além das famílias desalojadas. Esse desastre é um pesadelo que nunca acaba”, afirmou.

Para proteger a barreira que impede o encontro da foz do Rio Pequeno com o Doce da chuva, a prefeitura informou que equipes da Secretaria Municipal de Obras estão cobrindo a barragem – de 4 metros de altura, contando a partir da margem – com 120 metros de lona. As bordas da cobertura serão fixadas com cerca de 100 sacos de areia. 

Na tarde da última quinta-feira (21), a prefeitura do município solicitou à Samarco que abrisse da barra sul da foz do rio, localizada na vila de Regência e que se formou devido à forte seca no Estado. Mas essa ação, que impediu a cheia de aumentar, ampliou a quantidade de lama despejada no oceano.  Segundo imagens registradas pela equipe de reportagem da TV Vitória em sobrevoo ao local, a impressão é que além de avançar para alto mar, a lama segue em direção ao litoral Sul do Estado.