Destruição de lixeiras gera gastos superiores a R$ 3 milhões por ano na Grande Vitória

Geral

Destruição de lixeiras gera gastos superiores a R$ 3 milhões por ano na Grande Vitória

Apenas em Vila Velha, a prefeitura informou que gasta aproximadamente R$ 200 mil por mês, ou seja, R$ 2,4 milhões por ano para recuperar os patrimônios

Ao todo, a capital capixaba tem cerca de 3,5 mil lixeiras Foto: Divulgação/Prefeitura

Os atos de vandalismo nas ruas da Grande Vitória têm gerado altos gastos para os cofres públicos. Se somados, o valor pago pelas prefeituras de Vitória, Vila Velha, Serra e Cariacica para recuperar somente as lixeiras danificadas ultrapassa os R$ 3 milhões por ano.

Recentemente, em uma rede social, o prefeito de Vitória, Luciano Rezende, informou que em 2015 foram instaladas mais 1,5 mil lixeiras em toda a cidade. No entanto, 50 delas são destruídas todos os meses. “O custo que todos pagamos para recolocá-las é de R$ 60 mil por ano”, destacou Rezende, após flagrar uma lixeira destruída na orla de Camburi. Ao todo, a capital capixaba tem cerca de 3,5 mil lixeiras espalhadas pela cidade. 

Em Vila Velha, a prefeitura informou que gasta aproximadamente R$ 200 mil por mês, ou seja, R$ 2,4 milhões por ano para recuperar pontos que foram alvo de vandalismo. Segundo eles, o valor daria para realizar a limpeza, anualmente, dos 45 quilômetros de canais que cortam o município. Praças, placas de sinalização, lixeiras e muros de escolas são os maiores alvos dos vândalos.

Já no município da Serra, o gasto mensal é de cerca de R$ 50 mil com reforma de locais públicos depredados. Nesta lista estão inclusos reforma de praça, conserto de playground e lixeiras, além da troca de cabos de iluminação pública que são furtados. Segundo a prefeitura, a Serra tem cerca de 3 mil lixeiras, sendo que aproximadamente 100 sofrem depredação a cada mês. Se somados os meses, o gasto é de cerca de R$ 600 mil por ano para os reparos. 

Foram cerca de R$ 100 mil gastos em Cariacica Foto: Divulgação/Prefeitura

E a Prefeitura de Cariacica informou que o prejuízo dessas ações é de quase R$ 100 mil por ano no município. De acordo com a Gerência de Limpeza e Conservação, em 2015 os atos de vandalismo envolvendo papeleiras (lixeiras fixas instaladas geralmente em postes) e caixas contêineres (as lixeiras maiores, com rodinhas) custaram R$ 96.738.

Denúncia 

O ato de destruir lixeiras se enquadra na categoria das infrações ambientais e contra o patrimônio público. Conforme o Código Penal, Lei Nº 2.848/40, a destruição do patrimônio público é crime tipificado no artigo 163, que sujeita o infrator a pena de detenção, de seis meses a três anos, multa, além da pena correspondente à violência.

Os moradores devem denunciar tal vandalismo para que os infratores sejam punidos. As denúncias podem ser efetuadas no Centro Integrado Operacional de Defesa Social (Ciodes), por meio do telefone 190.

Na capital, as denúncias também podem ser realizadas pelo Fala Vitória.