• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após susto com Felipe Titto, saiba se é possível evitar infarto na juventude

  • COMPARTILHE
Geral

Após susto com Felipe Titto, saiba se é possível evitar infarto na juventude

O ator Felipe Titto sofre um infarto no último domingo (22), mas passa bem. Na matéria você confere os fatores de risco que podem ocasionar o problema

Felipe foi internado após sofrer um infarto miocárdio Foto: Reprodução/Instagram

Um episódio com o ator Felipe Titto na manhã do último domingo (22), assustou os fãs. Com apenas 30 anos de idade, ele foi internado após sofrer um infarto miocárdio e precisou ser internado em um Hospital de São Paulo. 

A pouca idade do ator foi o que impressionou e também deixou um alerta para os mais jovens. De acordo com a médica cardiologista do Centro Médico Shopping Vitória, Katia Vasconcelos, o infarto não é comum em pessoas nesta faixa etária, mas algumas coisas podem favorecer.

"Não é comum acontecer nessa idade mais nova, mas eu tenho vários pacientes que têm o histórico familiar positivo, além de pacientes tabagistas, que fazem uso de drogas e álcool, com problemas de colesterol de origem genética. Obesidade também pode acarretar, diabete tipo 2 não controlada, podem facilitar", explica.

Ainda de acordo com a especialista, é preciso ficar atento aos riscos do ponto de vista familiar e fazer um check-up anual. Ela ainda alerta que o infarto em jovens geralmente levam à morte, e que o uso de drogas sintéticas, bebidas alcoólicas e combinações de energético e álcool são algumas das causas mais comuns no atendimento atualmente. 

"O infarto em jovens é de alta mortalidade. O que eu tenho atendido bastante são pacientes por conta do uso de drogas sintéticas e mistura de energético com bebida alcoólica, por exemplo. Isso têm aumentado muito o grau de atendimento nos prontos-socorros, além de obesidade e abuso de cigarro. É recomendado que o paciente faça uma avaliação para saber se está no grupo de risco e, se estiver, fazer consulta anual com cardiologista e outros cuidados também.

Veja: