• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Passagem do Transcol vai custar R$ 3,75 a partir de segunda

  • COMPARTILHE
Geral

Passagem do Transcol vai custar R$ 3,75 a partir de segunda

Com o reajuste de 10,29%, anunciado nesta sexta-feira, a passagem passa a valer R$ 3,75 de segunda a sábado e R$ 3,25 aos domingos

Iures Wagmaker e Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução

Atenção, passageiros! A partir do próximo domingo (13) o valor da tarifa vai sofrer um aumento. De segunda a sábado o preço passa de R$3,40 para R$ 3,75, enquanto nos domingos a passagem, que custava R$ 2,95, terá o valor de R$ 3,25.

Já o Bike GV, a linha que faz o transporte de bicicletas entre Vitória e Vila Velha pela Terceira Ponte, passará de R$ 1,70 para R$ 1,85.

O serviço especial seletivo também terá reajuste. As linhas de Vila Velha, Cariacica e Viana, que custam R$ 5,70, passam a ter a passagem no valor de R$ 6,05. As linhas da Serra, que custam R$ 6,25, passam para R$ 6,65. As linhas de Jacaraipe e Praia Grande passam de R$ 6,60 para R$ 7,05

O aumento, que tem variação de 10,29%, foi divulgado na manhã desta sexta-feira (11) pela Secretaria de Estado dos Transportes e Obras Públicas (Setop) e pela Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb), na sede do Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, em Vitória.

A pasta convocou uma coletiva para tratar do assunto nesta sexta-feira (11). O último reajuste aconteceu há cerca de um ano, quando o valor da tarifa passou a valer R$ 3,40, para os dias úteis e sábados, e R$ 2,95 aos domingos.

Segundo o secretário de Transportes e Obras Públicas, Fábio Damasceno, o sistema Transcol possui uma dívida de R$ 360 milhões. Atualmente, o sistema tem 171 milhões de passageiros, 14,5% a menos do que em 2014, quando quando eram 200 milhões.

Em quatro anos teve aumento de 38,8% na tarifa e uma redução de 10% da quantidade de veículos que circulam na região metropolitana, em uma tentativa de diminuir o impacto da dívida.

Foto: Thaiz Blunk

"Aumento é para mais investimentos", diz secretário

De acordo com Damasceno, com a redução da dívida com o Transcol, o Governo poderá ter mais investimentos na frota. Ele destaca que a média de reajuste nos últimos três anos foi de 11,62%. A estimativa é zerar a dívida entre dois e três anos.

"Queremos efetivar a melhoria da mobilidade urbana. A gente não sabe como o Espírito Santo vai se comportar. Trazer tecnologia, uma bilhetagem nova, onde se integre o transporte. Espero que isso aconteça o mais rápido possível. A curto prazo, a ideia é renovar a frota. O objetivo do reajuste é o cumprimento da ação judicial, cumprimento das cláusulas contratuais, reequilíbrio econômico financeiro dos contratos e renovação da frota, com redução da quebra de veículos, motores menos poluentes, maior conforto para os usuários, motoristas e cobradores", explica o secretário.

Auditoria em dezembro

O motivo da mudança no valor da tarifa se deve ao resultado de uma auditoria do governo, que apontou a necessidade de um reequilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão do sistema.

A auditoria apontou a necessidade de um reequilíbrio de 13,55% no custo por quilômetro a partir de 06 de janeiro de 2019, enquanto a auditoria realizada pelos empresários apontou 25,19%. 

A principal causa para o desequilíbrio do contrato foi a queda da demanda de passageiros provocada pela crise econômica e o desemprego, tendo em vista que o trabalho é responsável por mais de 60% do volume de viagens no transporte coletivo. No período de 2015 a 2018, houve uma redução 25 milhões de passageiros transportados pelo Sistema Transcol.