• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chuvas em Minas deixam Defesa Civil de Linhares em alerta

Geral

Chuvas em Minas deixam Defesa Civil de Linhares em alerta

Rio Doce subiu em Linhares e órgão monitora a situação

Foto: Kaio Henrique
Defesa Civil monitora o nível do Rio Doce.

A chuva história que deixou quase dez mortos e mais de 3 mil pessoas fora de casa em Minas Gerais fez a Defesa Civil de Linhares, no Norte do Espírito Santo, ficar em alerta. É que o Rio Doce começou a ganhar volume e as chuvas de lá influenciam no nível do rio no município capixaba.

Nessa sexta-feira (24), o Rio Doce, em Linhares, chegou a 2,60 metros, a 70 centímetros da cota de alerta (3,20 m). Já na manhã deste sábado, segundo a Defesa Civil, o nível baixou para 2,37.

A previsão é de chuvas para este fim de semana em Linhares. Mas de acordo com o coordenador de Defesa Civil do município, Antônio Carlos dos Santos, as chuvas daqui não são tão preocupantes. "As chuvas aqui não causam problemas ao Rio Doce. Vai depender muito das chuvas em Minas. Está chovendo muito em Belo Horizonte [capital], mas essa água não vem para cá", explica.

Segundo o coordenador, a chuva nas regiões de cabeceira do rio, no estado mineiro, é que altera o nível em Colatina e Linhares. Mas nessa área, segundo a defesa civil, a chuva é menos intensa em comparação com a que causou estragos em BH. Mesmo assim, o órgão está em alerta. "A gente monitora 24 horas. Eu recebo boletim da cota do rio em Minas o tempo todo", informa.

Monitoramento

Foto: Divulgação
Rio Doce em Governador Valadares.

Os boletins que o coordenador de Defesa Civil de Linhares, Antônio Carlos dos Santos, recebe são da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), que monitora toda a bacia do Rio Doce.

Em Governador Valadares, por exemplo, cidade ao leste mineiro cortada pelo rio, às 23h dessa sexta-feira (24), de acordo com o boletim da CPRM, o rio estava com 2,35 metros. Às 7h deste sábado (25), o último monitoramento mostrou que o nível era de 2,36 metros. Ou seja, subiu apenas um centímetro em oito horas.

"Por enquanto, a situação é tranquila", garantiu o coordenador.