Aumento de casos de covid-19 no norte do Brasil pode migrar para o Espírito Santo

CORONAVÍRUS

Geral

Aumento de casos de covid-19 no norte do Brasil pode migrar para o Espírito Santo

O alerta foi feito pelo subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin. No momento, segundo a Sesa, número de casos no estado se mantem estável

Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) fez um alerta para a possibilidade de aumento de casos da covid-19 no Espírito Santo, nas próximas semanas. Durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (26), o subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, explicou que o aumento de registros da doença no norte do Brasil pode migrar para a Região Sudeste do país e atingir o Espírito Santo.

De acordo com o subsecretário, o aumento no número de infectados pode ocorrer entre o final de janeiro e o mês de fevereiro. "Situações como as que ocorrem no norte do país têm uma repercussão, depois de algum período, nas demais regiões. Então o Norte inicia esses casos, com uma maior quantidade, e depois faz uma migração para as regiões, especificamente para a Região Sudeste", destacou Reblin.

Na semana passada, 36 pacientes de Manaus, infectados com o coronavírus, chegaram ao Espírito Santo, onde estão internados no Hospital Estadual Jayme Santos Neves, na Serra. Segundo a Sesa, 18 deles estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e os outros 18 estão na enfermaria. Desses, oito já estão em condições de receber alta.

Mortes no interior

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, desde a última semana de dezembro, o número de casos de covid-19 tem se mantido estável no Espírito Santo. No entanto, ressaltou que nem todos os cenários são positivos. O número de óbitos no interior do estado, por exemplo, cresceu.

"O número total de óbitos que ocorreram no interior do estado do Espírito Santo, em dezembro, já superou o número total de óbitos do pior mês do comportamento da mortalidade pela doença no nosso estado, na primeira onda. Ou seja, a segunda onda repercute para o interior do nosso estado com uma proporção maior em número de óbitos do que tivemos no primeiro momento da pandemia", frisou o secretário.

"A Grande Vitória não apresentou, na segunda expansão da doença, até o presente momento, uma característica de dimensões maiores do que ela viveu na primeira onda, que nós vivemos em meados do ano passado", completou.

Ainda segundo Nésio Fernandes, a expansão de leitos de UTI exclusivos para tratamento da covid-19 vai continuar no Espírito Santo, superando o número ofertado na primeira fase da doença.

"Mantivemos a expansão de leitos, ao longo deste mês. Temos mais leitos para poder expandir ainda, o que irá permitir que a gente alcance, até a primeira semana de fevereiro, a mesma quantidade de leitos que foram disponibilizados na pandemia, durante a primeira expansão da doença", afirmou.