Covid-19: 27 pacientes de Manaus transferidos para o ES estão na UTI; quatro foram intubados

CORONAVÍRUS

Geral

Covid-19: 27 pacientes de Manaus transferidos para o ES estão na UTI; quatro foram intubados

Eles estão recebendo os cuidados no Hospital Estadual Jayme Santos Neves, na Serra, referência para o tratamento do coronavírus no Espírito Santo

Foto: Divulgação/FAB

Dos 36 pacientes do Amazonas infectados com o novo coronavírus que chegaram ao Espírito Santo entre a noite de quinta (21) e a madrugada desta sexta-feira (22), 27 estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual Jayme Santos Neves, na Serra, principal referência para o tratamento da covid-19 no estado. Quatro desses pacientes precisaram ser intubados após a viagem.

"Como é uma viagem um pouco prolongada, ela pode ter contribuído para a descompensação de alguns pacientes. Mas o fato é que agora eles estão com seus tratamentos intensivos e sob cuidados médicos de nossa equipe, que está completamente preparada e que foi treinada para prestar esse tipo de atendimento", destacou o subsecretário de Estado de Regulação, Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa.

A operação de transferência dos pacientes de Manaus para o Espírito Santo começou na tarde de quinta-feira. Na porta do Hospital 28 de Agosto, na capital amazonense, Antônio Carlos Brito aguardava apreensivo pela retirada da esposa, Zizelda Brito.

"Tenho muita esperança que ela vá se recuperar. Ela é uma profissional da saúde e esteve à frente no combate à covid-19. Infelizmente agora, há uns 10 dias, ela se contaminou, mas a gente está lutando pela vida dela", desabafou.

Na entrada da ambulância, a voz da gerente de hospitais e fundações da Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, Fabiana Maciel, tentava tranquilizar os pacientes.

"O senhor vai voltar para sua família, tá bom? O tempo que você precisar, o atendimento especializado o senhor vai ter lá, e a gente vai estar aqui, de braços abertos, para comemorar a sua vitória, tá bom? Já deu certo", disse a um dos pacientes levados a Vitória.

Já no aeroporto de Manaus, os irmãos Jéssica e Abrahim Said tentavam avistar o embarque da mãe, Maria Said, entre as grades que cercam a base aérea. "Quantas pessoas queriam estar aqui felizes, gratos pelos seus familiares irem? Todas as pessoas que estão ali dentro é só gratidão. Não tenho nem explicação. Deus colocou tantos anjos nas nossas vidas esses dias, porque o sofrimento é muito grande", disse Jéssica. "A gente fica apreensivo, mas nunca perdemos a fé", completou Abrahim.

Em Vitória, a primeira aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) pousou com 18 pacientes, por volta de 20h20 de quinta-feira. A primeira mulher a desembarcar precisou ser amparada pela equipe médica. Ela foi colocada numa maca e levada para a ambulância. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a paciente teve uma intercorrência durante a escala em Palmas, no Tocantins. Ao chegar ao Espírito Santo, precisou ser intubada.

"A paciente começou a ter mais necessidade de oxigênio. É um quadro que a gente observa muito no paciente covid, que ele pode ter essa necessidade. Mas eles tinham condições de oferecer e, assim, acolheram o paciente bem, dentro do avião", afirmou o médico assessor da Subsecretaria de Regulação da Sesa, Mayke Armani.

>> Pacientes de Manaus ficarão em ala isolada do hospital Jayme Santos Neves, na Serra

>> Mais 18 pacientes de Manaus chegam ao Espírito Santo

Os pacientes desembarcavam usando máscaras de oxigênio e, um a um, eram colocados em macas e encaminhados às ambulâncias. Um comboio de cinco ambulâncias saiu do aeroporto por volta das 21 horas. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou a escolta até o hospital.

O voo com o segundo grupo de pacientes desembarcou durante a madrugada, por volta das 2 horas desta sexta-feira. De acordo com a Sesa, todos estão em um bloco isolado para tratamento da covid-19. 

A previsão é de que os pacientes fiquem pelo menos sete dias no Espírito Santo. Após a alta, devem voltar para casa em voos comerciais. "Nós vamos comunicar ao Ministério da Saúde, em Manaus, a alta, com antecedência de 48 horas, desses pacientes. E aí o custo vai ficar para Manaus, para levar esse paciente até seu domicílio, para sua recuperação e reabilitação", ressaltou Gleikson Barbosa.

Pelo menos 15 estados disponibilizam leitos de UTI para pacientes do Amazonas, onde o sistema de saúde entrou em colapso e faltou até oxigênio nos hospitais. O governo amazonense prevê transferir até 700 pessoas com covid-19 nos próximos dias. Por enquanto, segundo a Sesa, não houve mais nenhum pedido de transferência para o Espírito Santo.

Com informações da jornalista Andressa Missio, da TV Vitória/Record TV