Mesmo com decisão judicial, manifestação dos rodoviários segue indefinida e circulação dos ônibus longe da normalidade

Geral

Mesmo com decisão judicial, manifestação dos rodoviários segue indefinida e circulação dos ônibus longe da normalidade

Segundo o sindicato, a manifestação acontece porque os cobradores foram surpreendidos pela decisão do Governo do Estado em manter a suspensão da cobrança em dinheiro nos coletivos, interrompendo o retorno ao trabalho

Foto: Iures Wagmaker / Folha Vitória

O primeiro dia útil do ano começou com paralisação nas garagens do Sistema Transcol da Grande Vitória. A manifestação dos rodoviários pegou a população de surpresa e resultou em pontos de ônibus e veículos lotados. No começo da tarde, o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Espírito Santo (Sindirodoviários) acatou a liminar que proibia a paralisação de parte da frota e passou a liberar a saída dos coletivos.

Apesar da liberação, a manifestação segue indefinida e usuários reclamam da escassez dos ônibus nas ruas da Grande Vitória. 

O GVBus informou que a paralisação realizada pelo Sindirodoviários é abusiva, conforme liminar deferida pela justiça do trabalho, no sábado (02). Segundo o sindicato patronal, em caso de descumprimento da liminar, está prevista multa de R$ 10 mil por dia.

Além do GVBus, as empresas também conseguiram uma liminar de interdito do movimento no dia 31 de dezembro. O GVBus ainda ressaltou que os representantes do sindicato foram informados sobre a primeira liminar deferida, recebendo cópias das mesmas, neste mesmo dia, via Whatsapp pelas empresas.

Ainda na madrugada desta segunda-feira (04), membros da categoria impediram a saída dos ônibus, e somente microônibus e ônibus com ar-condicionado eram liberados em algumas garagens. Segundo o sindicato, a manifestação acontece porque os cobradores foram surpreendidos pela decisão do Governo do Estado em manter a suspensão da cobrança em dinheiro nos coletivos, interrompendo a volta ao trabalho nos ônibus.

Na nota, a Semobi reiterou que "a continuidade da suspensão da cobrança em dinheiro nos coletivos foi definida levando-se em consideração o Decreto de estado de emergência em saúde pública no Estado do Espírito Santo, que estabelece medidas sanitárias e administrativas para prevenção, controle e contenção de riscos,danos e agravos decorrentes do surto de novo coronavírus (COVID-19). Consequentemente, a função de cobrador no interior dos coletivos também fica suspensa com base no mesmo decreto".

MANIFESTAÇÃO SEGUE INDEFINIDA 

O Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Espírito Santo (Sindirodoviários) irá reunir os cobradores a partir das 16h desta segunda-feira (04), na praça de Jucutuquara, em Vitória. A ideia é discutir com a categoria os rumos do movimento e futuras manifestações. 

A informação foi dada pelo diretor do Sindirodoviários, Miguel Leite. Segundo ele, o movimento não deve terminar com o cumprimento da liminar que determina que a circulação dos coletivos seja normalizada. Ele não quis detalhar se haverá outras paralisações. "Vamos discutir coletivamente com os trabalhadores quais serão as estratégias", afirmou.