Vacinas começarão a ser distribuídas aos estados nesta segunda-feira, diz Pazuello

CORONAVÍRUS

Geral

Vacinas começarão a ser distribuídas aos estados nesta segunda-feira, diz Pazuello

Durante coletiva neste domingo, o ministro da Saúde também anunciou alguns detalhes do Plano Nacional de Imunização, que deve começar na quarta-feira

Foto: Agência Brasil

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, afirmou que o governo federal inicia nesta segunda-feira (18) a distribuição aos estados das 6 milhões de doses disponíveis no país. A declaração foi dada durante uma entrevista coletiva, concedida neste domingo (17), logo após a aprovação do uso emergencial das vacinas de Oxford e da CoronaVac. 

Direto do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into), no Rio de Janeiro, o ministro também anunciou alguns detalhes do Plano Nacional de Imunização (PNI), que deve começar na quarta-feira (20) em todos os estados.

"Determinei, imediatamente após a aprovação do uso emergencial da Anvisa, ao departamento de logística do Ministério da Saúde que faça a preparação específica dos lotes para cada estado e Distrito Federal. Amanhã, às 7h, iniciaremos a distribuição das doses para todos os estados, com o apoio do Ministério da Defesa, com o deslocamento aéreo”, disse Pazuello.

De acordo com o cronograma do governo federal, as vacinas serão distribuídas considerando os grupos prioritários e a proporção de cada estado. O planejamento foi preparado pela Secretaria de Vigilância em Saúde, considerando "todas as hipóteses e cenários." A expectativa do Ministério da Saúde é que as primeiras vacinas sejam aplicadas na próxima quarta-feira (20), a partir das 10 horas.

Uso político

O ministro da saúde também criticou o que ele classificou como "uso político" das vacinas. Pazuello disse que o Ministério da Saúde já está com as doses em mãos e que poderia ter realizado a primeira vacinação do Brasil. No entanto, decidiu respeitar o que foi "pactuado com os governadores."

“Não faremos jogada de marketing. O governo federal determinou que o Plano Nacional de Imunização seja executado pelo Ministério da Saúde. Esse plano já foi apresentado ao STF (Supremo Tribunal Federal), lançado no Palácio do Planalto, com todos os estados. Quebrar essa pactuação é desprezar a igualdade entre todos os estados e brasileiros", completou.

Na última segunda-feira (11), Pazuello afirmou que a vacinação começaria "no dia D, na hora H". Em pronunciamento na cidade de Manaus, o ministro ressaltou que as primeiras doses aos estados e municípios poderiam ser distribuídas entre três e quatro dias após a liberação da Anvisa.

Índia

Segundo Pazuello, o Ministério da Saúde espera colocar em prática um plano para buscar um lote de 2 milhões de doses da vacina contra a covid-19, na Índia, nesta semana. O atraso no cronograma de entrega dos imunizantes foi confirmado na manhã de sexta-feira (15), pelo Ministério das Relações Exteriores. De acordo com o ministro, o impasse teria sido provocado por conta de pressões internas no país asiático.

"Em uma conversa, em nível diplomático, ficou claro que a Índia iria começar a sua vacinação no dia 16, sábado, e que seria interessante que a saída das doses do país acontecesse após o início da vacinação. Hoje é o primeiro dia após o início da vacinação. É muito provável que a gente consiga coordenar essa entrega agora, para o começo da semana. Estamos em negociação diplomática para isso."

Pazuello lembrou ainda que a responsabilidade para resolver o impasse seria, em tese, do laboratório responsável pelo imunizante. "Essa missão de resolver o problema é da empresa contrata. Temos um contrato com a AstraZeneca Global. Cabe a ela e a do Brasil resolver o problema, tanto da Índia quanto da China. Essa missão é da AstraZenreca. Somos o apoio e temos o contrato para cobrar."

Com informações do portal R7