Viana Vacinada: cidade realiza Dia D com nova aplicação de meia dose neste domingo

Geral

Viana Vacinada: cidade realiza Dia D com nova aplicação de meia dose neste domingo

Quem recebeu a dose convencional dos imunizantes Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer pode participar

Foto: Folha Vitória

Após comprovar cientificamente que a aplicação de meia dose da vacina AstraZeneca/Fiocruz tem efetividade contra a covid-19, semelhante à prescrição padrão, o Projeto Viana Vacinada inicia nova fase da pesquisa. Agora, toda a população do município, de 18 a 49 anos, mesmo que não tenha sido voluntária nas etapas anteriores do estudo, está convidada para tomar outra meia dose, como reforço.

O Dia D de mobilização está marcado para o próximo domingo (16). Inclusive quem recebeu a dose convencional dos imunizantes Coronavac, AstraZeneca ou Pfizer pode participar. A meia dose já está sendo oferecida em todos os postos de vacinação do município.

O dia de Mobilização está sendo organizado pela Prefeitura de Viana nos CEMEI Manoel Evêncio de Oliveira, em Nova Bethânia; CEMEI Maria de Lourdes Coutinho Passos, em Vila Bethânia; EMEF Marcílio de Noronha, em Marcílio de Noronha; EMEF Orestes Souto Novaes, em Jucu, e na EMEF Padre Antunes Siqueira, em Viana Sede.

Segundo o prefeito de Viana, Wanderson Bueno, nesta nova etapa de vacinação, apresentamos à população que o resultado do Estudo Viana Vacinada, com sua eficácia na imunização de vianenses, é suficiente para orientar estratégias de saúde pública em todo o mundo.

“Os moradores de Viana acreditaram no Estudo e agora estamos empenhados com o uso da meia dose como dose de reforço. Há uma relevância sanitária internacional com o que ocorreu em nossa cidade, e nos orgulhamos de poder ajudar”, disse.

A continuação do monitoramento científico com o reforço vacinal teve autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep). A chancela foi dada diante dos resultados apresentados até agora, em que duas aplicações da metade da medida recomendada na bula da AstraZeneca/Fiocruz mostraram-se efetivas para prevenção de 70% de casos novos e nenhuma ocorrência de internação ou óbito, na população estudada.

Resultados do estudo 

Conforme os testes em voluntários, a meia dose conseguiu induzir a produção de anticorpos neutralizantes em 99,8% dos participantes, resultado semelhante ao alcançado no esquema com dose padrão.

Em pré-imunes, ou seja, pessoas que já tiveram a doença ou foram vacinadas anteriormente, uma meia dose foi suficiente para induzir altos títulos de anticorpos neutralizantes. “Isso mostra que a meia dose pode ser usada para reforço no esquema vacinal”, informou o pesquisador da Fiocruz, Olindo Assis Martins Filho.

Um dado que impressiona é que no grupo dos que não tiveram covid e nem haviam se vacinado antes, a meia dose conseguiu induzir resposta mais robusta de biomarcadores de imunização (quimiocinas, citocinas e fatores de crescimento) que a prescrição na bula do produto da AstraZeneca. Nos pré-imunes, a produção desses marcadores foi semelhante nos dois grupos.

Outra conclusão foi a de que a duração dos eventos adversos foi menor na meia dose que na cheia. Em geral, foram leves e em proporção de pessoas semelhante à da prescrição de fábrica.

O estudo foi premiado no Congresso Brasileiro de Infectologia, em dezembro, em Goiânia.

O projeto Viana Vacinada é coordenado pelo Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucam-Ufes), que faz parte da rede Ebserh de hospitais federais, em parceria com a Fiocruz, patrocinado pelo Instituto Capixaba de Ensino, Pesquisa e Inovação em Saúde (ICEPi) da Secretaria Estadual de Saúde do Espírito Santo, com o apoio da Organização Panamericana de Saúde (Opas), do Ministério da Saúde e da Prefeitura Municipal de Viana.