Oito sobreviventes de explosão em plataforma permanecem internados em hospital da Serra

Geral

Oito sobreviventes de explosão em plataforma permanecem internados em hospital da Serra

Segundo a empresa, três petroleiros morreram no local e os feridos foram transferidos de helicóptero para atendimento médico em Vitória. Outros seis trabalhadores estão desaparecidos

Uma ambulância está de plantão no hotel para prestar atendimento Foto: TV Vitória

Oito das dez pessoas que ficaram gravemente feridas após a explosão do navio-plataforma Cidade de São Mateus operado pela empresa BW Offshore e afretado pela estatal permanecem internadas no Vitória Apart Hospital, na SerraO acidente aconteceu na última quarta-feira (11), por volta das 12h50. 

Funcionários do hospital informaram que quatro das oito vítimas internadas tiveram alta, mas a informação não foi confirmada pelo hospital e nem pela assessoria. O hospital ainda não divulgou uma nota oficial sobre o estado de saúde das vítimas que permanecem internadas. A Petrobras confirmou, no final da tarde da última quarta-feira (11), a morte de três pessoas.

Outra informação é de que uma balsa com 33 pessoas que também estavam na plataforma no momento da explosão chegaram a Vitória. Eles foram levados para o Porto de Capuaba, em Vila Velha, e do município, seguiram para um hotel em Vitória, onde passaram por uma triagem. Três dessas pessoas foram encaminhadas para o hospital, mas foram liberadas e levadas para o hotel, onde permanecem os outros trabalhadores que estavam no local do acidente. 

O acidente foi controlado a partir do imediato acionamento do Plano de Emergência com a mobilização de todos os recursos necessários. As operações da plataforma foram interrompidas.

A produção da unidade era de cerca de 2,2 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural. A unidade opera, desde junho de 2009, no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120km da costa.

A Petrobras notificou oficialmente a Marinha e a Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustiveis (ANP). A concessão de Camarupim é operada pela Petrobras (100%) e a de Camarupim Norte é uma parceria entre a Petrobras (65%) e a empresa Ouro Preto Energia (35%). A Secretaria de Estado da Saúde do Espírito Santo informou, em nota, que duas pessoas foram atendidas com queimaduras graves e oito com traumas. Duas ambulâncias do Samu 192 e quatro "motolâncias" prestaram atendimento aos pacientes, que foram encaminhados para o Vitória Apart Hospital e Hospital Metropolitano, ambos em Serra, na região metropolitana de Vitória. 

Segundo a Infraero, um plano de contingência foi acionado no Aeroporto de Vitória para atender aos trabalhadores que estavam na plataforma na hora da explosão. Uma área foi reservada para pousos e decolagens de helicópteros que fazem o socorro às vítimas, e o trânsito de ambulâncias na região foi facilitado. O órgão informou ainda que os pousos e decolagens no terminal ocorreram normalmente.

Marinha ajuda no resgate

A Marinha do Brasil, por meio da Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES), informou que tomou conhecimento da explosão na Plataforma e enviou um navio e duas aeronaves para realizar a evacuação de pessoal e remover as vítimas para os hospitais da Grande Vitória.

A CPES diz ainda que será aberto um Inquérito Administrativo sobre Acidentes e Fatos da Navegação (IAFN), a fim de esclarecer as causas e responsabilidades pelo ocorrido na plataforma. O prazo para a conclusão do Inquérito é de 90 dias.

A plataforma é um navio alugado da BW Offshore pela Petrobrás. Segundo informações que constam no site da BW, o FPSO tem capacidade de produção de 25 mil boe/d. O contrato entrou em vigor em 2009 e tem duração até 2018.

Veja abaixo como é o funcionamento da plataforma localizada em Aracruz

Veja a nota da Petrobras na íntegra

A Petrobras lamenta informar a ocorrência nesta quarta-feira, dia 11/2, por volta de 12h50, de uma explosão a bordo do navio-plataforma Cidade de São Mateus operado pela empresa BW Offshore e afretado pela Petrobras. A unidade opera, desde junho de 2009, no pós-sal dos campos de Camarupim e Camarupim Norte, no litoral do Espírito Santo, a cerca de 120 km da costa. Do total de 74 trabalhadores embarcados, três não resistiram aos ferimentos e faleceram no local; dez sofreram ferimentos e já foram transferidos por helicóptero para atendimento médico em Vitória e outros seis estão desaparecidos. 

A BW está prestando toda a assistência aos seus funcionários e familiares, com apoio da Petrobras. O acidente foi controlado a partir do imediato acionamento do Plano de Emergência com a mobilização de todos os recursos necessários. As operações da plataforma foram interrompidas. A produção da unidade era de cerca de 2,2 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural.

A Petrobras notificou oficialmente a Marinha e a Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustiveis (ANP). A concessão de Camarupim é operada pela Petrobras (100%) e a de Camarupim Norte é uma parceria entre a Petrobras (65%) e a empresa Ouro Preto Energia (35%).