Forças Armadas devem permanecer no Estado por tempo indeterminado

Geral

Forças Armadas devem permanecer no Estado por tempo indeterminado

O porta-voz da Força-Tarefa Conjunta Capixaba informou que todos os dias são feitos estudos para acompanhar a situação da segurança e determinar o que será feito

O tenente coronel Alexsandro Henrique Silva disse que vai aguardar até o próximo dia 23 Foto: TV Vitória

No Espírito Santo, desde o último dia 06, as Forças Armadas devem continuar atuando no Estado. De acordo com o tenente coronel Alexsandro Henrique Silva, que é o porta-voz da Força-Tarefa Conjunta Capixaba, eles vão aguardar até o próximo dia 23 para saber se haverá necessidade do prazo das tropas ser estendido.

“Toda a nossa tarefa de garantir a lei da ordem ela é episódica, temporal, local e pontual. Então, foi estabelecido um prazo até dia 16, e depois houve uma prorrogação por decreto presidencial. No dia 23 nós vamos aguardar, pois fazemos um estudo diário. Todos os dias pela manhã, e a noite, fazemos um estudo da situação e vamos acompanhar. Esse estudo é levado para o nosso comando e, a partir daí, é feita uma solicitação pelo governador e o decreto presidencial é assinado ou não”, afirmou.

Após as Forças Armadas serem autorizadas pelo Governo Federal a ficarem apenas até a próxima quinta-feira (23), e não por mais 20 dias como o Governo do Espírito Santo queria, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, se manifestou dizendo que elas devem atuar “o tempo que for necessário”.

Jungmann esclareceu que o decreto do presidente Michel Temer, publicado na última quinta-feira (16), em edição extra do Diário Oficial da União, foi mera formalidade. 

Os 3.454 militares chegaram ao Estado no último dia 6 de fevereiro, quando uma onda de violência atingiu o Espírito Santo durante paralisação dos trabalhos da Polícia Militar.

Confira o vídeo: