• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'Fico 24 horas procurando o nome dele, não como, não durmo', diz esposa de capixaba desaparecido em Brumadinho

TRAGÉDIA EM BRUMADINHO

Geral

'Fico 24 horas procurando o nome dele, não como, não durmo', diz esposa de capixaba desaparecido em Brumadinho

O mecânico de empilhadeiras, de 54 anos, era morador da Serra e estava há pouco tempo no estado mineiro

Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução

O capixaba Uberlândio Antônio da Silva continua na lista dos desaparecidos da tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais. O mecânico de empilhadeiras, de 54 anos, era morador da Serra e estava há pouco tempo no estado mineiro prestando serviço para a mineradora. 

Em conversa ao jornal online Folha Vitória na manhã desta segunda-feira (11), a esposa do funcionário afirmou que continua sem notícias do marido. 

"Até agora ninguém entrou em contato, ninguém me deu notícias. Eu já sei que ele está morto, mas ninguém achou o corpo dele e estou com medo de enterrarem o meu marido como indigente", afirmou Rosemar. 

A mulher contou ainda que o patrão de Uberlândio já pegou toda a documentação necessária para encaminhar à Vale, mas a empresa ainda não deu um parecer. 

"A única pessoa que me dá notícias é o patrão dele.  Eu que estou procurando tudo, fico 24 horas atrás de informação, não durmo, não como, só quero encontrar algum vestígio. Estou aguardando e se não conseguir nenhum posicionamento, vou para Minas e só vou sair de lá com notícia dele. Ele era trabalhador, não era um homem qualquer e morreu trabalhando para aquela empresa", desabafou.

Uberlandio Antonio da Silva, foi visto por volta das 11 horas da sexta-feira (25), dia da tragédia, na área do refeitório da mineradora. Ele é morador do bairro, na Serra, e permanece desaparecido.