Como estabelecer uma rotina de estudos produtiva e saudável em casa?

ESPECIAL EDUCAÇÃO 2021

Geral

Como estabelecer uma rotina de estudos produtiva e saudável em casa?

Estabelecer metas, evitar locais com distrações e estipular horários fixos são alguns dos pontos que devem ser levados em consideração ao criar uma rotina

Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Clara Alves, aluna da Escola Americana de Vitória, durante o momento de estudos em casa

Marcado pelo tradicional período de volta às aulas, que desta vez foi diferente de todos os outros, o mês de fevereiro está chegando ao fim, mas deixa um longo e desafiador percurso pela frente para os estudantes, família e escola. Neste primeiro momento, enquanto alguns ainda revisam os conteúdos do ano anterior, outros já apertaram o ‘start’ da nova fase escolar e buscam a melhor forma de dar continuidade ao processo educacional.

Desde o ano passado, quando as escolas reabriram as portas, as aulas no Espírito Santo estão acontecendo em formato híbrido - metodologia que combina a aprendizagem presencial e remota. Alguns alunos ainda permanecem 100% estudando em casa, mas muitos estão no esquema de rodízio; um tempo presencial e outro online. Nos dois cenários, o que há em comum é a importância de organizar a vida escolar.

A psicopedagoga especialista em Gestão Escolar e Educação Especial, Ana Regina Caminha Braga, destaca que a rotina, principalmente para crianças e adolescentes, é essencial, já que eles precisam dela para estabelecer o que fazer ou não durante o dia. Segundo ela, o ideal é que seja feito um cronograma com horários e tarefas e serem realizadas todos os dias. 

"Os pais devem colocar os horários e o que os filhos devem fazer em cada um deles. Às 08 horas ele levanta para tomar banho e escovar os dentes, por exemplo. Em seguida, às 08h30, toma café e depois começa a se preparar para ir à escola ou iniciar a aula remotamente, se for  esse o caso. É importante determinar as atividades, tanto escolares, quanto as de dentro de casa, até mesmo a parte de lazer, além de colocar também os horários de socialização da família, como ler um livro, por exemplo", orienta. 

Na casa da Vanessa Souza Alves da Costa, o momento de leitura com a filha, Clara Alves da Costa Araújo, de 8 anos, já faz parte da rotina. Ela é estudante do 3º ano do ensino fundamental na Escola Americana de Vitória, e como estuda em horário integral, de 08h às 15h50, faz a maior parte das atividades na escola. 

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
A leitura já faz parte da rotina da Clara

"Quando tem atividades, ela traz para casa e fazemos. Muitas delas são leituras e a Escola Americana tem um método muito bacana para incentivar isso. É uma plataforma que funciona como se fosse um jogo, então quanto mais a criança vai lendo, ela vai ganhando moedas para usar no seu avatar dentro dessa plataforma. Geralmente, um pouco antes do jantar, coloco ela para ler alguma coisa que gosta. Antes de dormir eu também leio algum livro com ela. É interessante como eles incentivam essa coisa da leitura e as crianças gostam muito”, ressaltou Vanessa 

Para a coordenadora pedagógica da Escola Americana de Vitória, Jessica Ventura, a importância do estudo diário vai muito além da aquisição de conteúdo. Segundo ela, além de ampliar os repertórios acadêmicos, o estudo, quando feito todos os dias, traz uma série de benefícios que nem sempre são considerados, mas que possuem enorme relevância no desenvolvimento de crianças e adolescentes.

“Uma vez que eles estabelecem uma rotina e a seguem, eles começam a aprender estratégias de como gerenciar vários aspectos de suas vidas pessoais. Tem o autoconhecimento, em que o aluno começa a perceber os seus pontos fracos e fortes, suas aptidões e as áreas em que precisará trabalhar com mais assiduidade, além da melhora na concentração e redução do estresse”, afirma. 

A psicóloga da instituição, Beatriz Lavor, reforça que a EAV conta com uma disciplina voltada para desenvolver a inteligência emocional das crianças, que inclui também a parte de histórias. Então elas levam a leitura para casa e, além de fixarem o que aprenderam, também compartilham esse momento com os pais. 

Foto: Divulgação
Beatriz Lavor, psicóloga da EAV

"A escola é integral, então as crianças já fazem as atividades durante o dia lá, mas algumas são passadas a fim de reforçar. Os pais precisam fazer desse momento do estudos, o mais proveitoso possível. Tem que ser motivador. Se a criança aprende melhor visualmente, é interessante buscar imagens. Se é auditiva, pode ser uma boa opção contar histórias. Mas se é sinestésica, que aprende melhor fazendo, ela pode escrever, por exemplo”, explica. 



Roteiro semanal 

Assim como é feito em casa por alguns pais as instituições de ensino também têm adotado um tipo de roteiro para ajudar na organização das atividades. Esse é o caso do Centro Educacional Vicente Pelicione (Cevip).

A professora de língua portuguesa do Cevip, Gisely Lube, explica que toda sexta-feira é enviado um cronograma aos alunos, permitindo que eles e a família já comecem a semana sabendo o que será estudado. Se for preciso revisar o conteúdo, basta acessar a biblioteca virtual para rever as aulas que são gravadas.

"Desta maneira, as crianças já têm um conhecimento prévio das matérias que estudarão. Orientamos, também, que nossos estudantes reservem um período de duas horas diárias para revisar as atividades daquele dia. Eles possuem, ainda, a oportunidade de rever as aulas que são gravadas e arquivadas em uma biblioteca virtual, explica. 
Foto: Divulgação | CEVIP
No Cevip, os alunos recebem um roteiro semanal de atividades

Os gêmeos Theo e Davi Scalzer Alves, de 6 anos, são alunos do Cevip e desde quando voltaram às aulas, estão segundo uma rotina de estudo que tem dado certo. A mãe,  a enfermeira Ravena Scalzer Moreira, explica que montou um cronograma para acompanhar o estudo dos filhos.

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal
Theo e Davi, alunos do Cevip, fazendo as atividades escolares

“Fora a rotina de deveres de casa estabelecida pela escola, eu tento, pelo menos duas vezes na semana, fazer atividades com eles, dando continuidade ao conteúdo abordado durante a semana. Acho importante porque damos continuidade ao aprendizado iniciado na escola também no dia a dia, então reforçando o aprendizado vai ficando mais fácil. O Cevip sempre nos encaminha roteiro semanal de atividades e também através das redes sociais da escola sempre nos apresentam assuntos importantes para abordarmos em casa, dando continuidade ao abordado no ambiente escolar”, conta a mãe.

Como as atividades, na maioria da escolas, ainda estão divididas entre o presencial e o remoto, a psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga orienta os pais nos dois casos. Para os alunos que estão estudando remotamente, segundo ela, o ideal é que seja oferecida uma boa estrutura. Ela destaca ainda que a rotina precisa ser bem estabelecida, regrada, para que o aluno não tenha estresse neste momento, que já está tão conturbado.

“Nas aulas online, o aluno tem que ter o mínimo de estrutura possível: uma cadeira minimamente adequada para que a postura seja preservada, fone para preservar a audição, por exemplo. Quando estão no remoto, o tempo que eles permanecem em frente ao computador já é grande o suficiente para cansar a visão, cansar a audição, então o ideal é que, assim que acabar, eles façam uma pausa e depois voltem para fazer as atividades, se tiver. Para as crianças que já estão estudando presencialmente, também é muito importante esse descanso. Chegar em casa, tomar um banho, descansar. Ter o momento de brincar, de relaxar, também é essencial, destaca. 

Nas aulas remotas são utilizados computadores, tablets ou celulares, mas é preciso atenção em relação ao tempo de uso das telas. Segundo a pesquisadora em Educação e professora de pedagogia da Faculdade Estácio de Sá, Juliana Paulielo Sanches Lobos, o ideal é que, para o momento de estudo, além dos computadores, outras ferramentas de estudo sejam utilizadas.

“O recomendável seria que o aluno usasse o computador na aula, e fora desse período, que ele pudesse usar outras alternativas físicas para estudar, como livros ou os registros que ele faz durante as aulas no caderno mesmo, por exemplo. Os pais precisam ficar atentos também porque não adianta fazer agenda com vários compromissos com os filhos e desconsiderar a importância do descanso e do tempo livre . O ócio criativo também é importante para que o cérebro consiga apreender e processar as informações. Esse tempo é importante, para o exercício de buscarmos um equilíbrio com as demandas estudantis”, afirma.

Foto: Gabriela Molina / Folha Vitória
A Faculdade Estácio de Sá oferece aos alunos a possibilidade de acessar as aulas gravadas

Em relação à organização dos estudos para os alunos do ensino superior, a professora conta que a Estácio sempre buscou flexibilizar o ensino para dar autonomia aos estudantes. Uma das alternativas encontradas foi uma plataforma para guardar as gravações das aulas e as pastas com todas as mídias utilizadas em sala de aula, assim os alunos podem acessar a aula sempre que necessários.

"A Estácio, desde antes da pandemia, vem constatando que o grupo de alunos é, em grande maioria, de trabalhadores, que trabalham durante o dia e estudam a noite. No ano passado, com a pandemia, essa condição de vida se intensificou, então pensando nisso, a instituição buscou, por meio de plataformas, a prerrogativa de ter as gravações das aulas e pastas com todas as mídias utilizadas nas aulas. Se o aluno tiver uma dificuldade de interação naquele dia, ele tem a condição de acessar essa aula em outro momento com acesso ao chat e às mídias que foram utilizadas. Isso, de alguma forma, viabiliza ao estudante a organização do seu tempo de estudo, conciliando as demandas de trabalho, de tempo livre com os recursos/ferramentas oferecidos pela Estácio", explica.

Estabelecendo uma rotina 

Para que os pais, responsáveis e alunos possam estabelecer uma rotina de estudos produtiva e que não seja desgastante, a coordenadora pedagógica  Jessica Ventura, destacou algumas questões são cruciais. Confira: 

- Local e horário fixos: o nosso cérebro trabalha por associações. Ao estabelecer o mesmo horário e um local fixo de estudo, o nosso cérebro trabalhará em nosso favor, aumentando a concentração.

- Estabelecer metas de curto e longo prazos: ao criar a sua rotina de estudos, o aluno deve estabelecer metas, se planejando a longo prazo e priorizando as tarefas com prazos mais curtos.

- Prestar atenção ao horário de estudo: É importante que a rotina de estudo aconteça em horários não muito após a volta para casa. Dessa forma, o conteúdo ainda estará "fresco" na memória, o que aumentará a produtividade.

- Qualidade e não quantidade: o que importa é a qualidade do estudo, seja ele por 30 minutos ou mais.

- Evitar distrações: Aparelhos celulares, tablets ou outros dispositivos eletrônicos podem atrapalhar durante este momento. O ideal é evitar o uso destes dispositivos. A não ser que se utilize o dispositivo como uma ferramenta de aprendizagem. Através de algum aplicativo, ou website, ou um ambiente virtual (como o Google Classroom). Neste caso, ao invés de atrapalhar, o dispositivo eletrônico age como um facilitador do aprendizado.

- Fazer pausas controladas: Fazer pequenas pausas durante o momento de estudo pode ser benéfico para aqueles que passam muitas horas estudando, ou ainda aqueles que possuem dificuldade de concentração. Existem diversas estratégias para esta finalidade, como o Método Pomodoro.