Moradores do prédio que ameaçava desabar ainda não podem retornar aos apartamentos

Geral

Moradores do prédio que ameaçava desabar ainda não podem retornar aos apartamentos

Ao todo, as reformas necessárias ainda vão durar em torno de quatro meses

Foto: Reprodução

Após a interdição do edifício Santos II, no bairro Nova Itaparica, Vila Velha, por risco de desmoronamento, no último dia 24 de janeiro, os moradores ainda não puderam retornar para as residências, pois as reformas necessárias ainda devem durar cerca de quatro meses.

Quatro dias após a interdição do prédio, as instalações passaram por uma vistoria e de acordo com o gerente de fiscalização do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado do Espírito Santo (CREA-ES) a concluído é de que ainda há riscos para a permanência de moradores no local.

"Existe risco iminente de desabamento do prédio ainda, o primeiro passo já foi feito que é o escoramento no entorno de todos os pilares, o segundo passo é o projeto e o reforço, concluído o projeto vai ser o reforço estrutural de todos os pilares", explicou.

Uma equipe da Defesa Civil de Vila Velha esteve no local e acompanhou os trabalhos e o coordenador adjunto da Defesa Civil de Vila Velha, Afonso Belenda, afirmou que o trabalho aconteceu de forma conjunta.

"Foi providenciado um reforço, um projeto de engenharia para reforçar toda a pavimentação inferior do prédio, este projeto foi planejado e foi executado, finalizado há pouco tempo atrás, mas ele só foi concluído após a fiscalização os engenheiros do CREA e da Defesa Civil, estadual e municipal", disse.

A última vistoria realizada nas instalações apontou que o local está seguro para que os moradores voltassem ao local e pegassem alguns pertences mais importantes. Mas, o retorno definitivo só será autorizado após o fim das reformas que devem durar em torno de quatro meses.

"Eles deverão aguardar o síndico junto com a advogada da empresa que vai organizar um por um para que possam subir até as residências de maneira que eles venham pegar pequenos pertences", afirmou Belenda.

O retorno definitivo foi autorizado apenas para os moradores dos prédios vizinhos. Enquanto o edifício Santos II segue em reforma, moradores estão se alojando em um hotel. 

Leia também: Prédio que ameaça desabar em Vila Velha passa por escoramento e construtora é notificada

Atualmente a Santos Construtora, responsável pelo edifício de Nova Itaparica, também possui outros empreendimentos e de acordo com o CREA-ES no decorrer da obra do Santos II a empresa recebeu cerca de 20 autos de infração por uma série de irregularidades. Ainda segundo o conselho, a empresa possuía autorização para a construção de apenas quatro andares, mas levantou seis. 

Em nota, a Prefeitura de Vila Velha informou que não encontrou a licença para o início das obas e nem o "Habite-se" do edifício Santos II. A prefeitura também afirmou que a construtora já foi autuada e notificada e que os encargos e multas podem atingir R$ 130 mil.

* Com informações do repórter Lucas Henrique Pisa, da TV Vitória/Record TV.