• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

China é uma ilha? Questão de concurso realizado no ES afirma que sim!

Geral

China é uma ilha? Questão de concurso realizado no ES afirma que sim!

A questão estava em uma prova da Prefeitura de Rio Novo do Sul. As provas foram realizadas em Cachoeiro de Itapemirim e tinham apenas 30 questões de múltipla escolha

A questão estava presente em uma prova de concurso da prefeitura de Rio Novo do Sul Foto: Reprodução

Uma questão de geografia, presente em uma prova do concurso público realizado pela Prefeitura de Rio Novo do Sul, está gerando polêmica entre candidatos. Elaborada pelo Idecan (Instituto de Desenvolvimento Educacional, Cultural e Assistencial Nacional), com sede em Brasília, a prova para Auditor Público apontava, segundo o gabarito divulgado pela empresa, que Cuba e China “são duas ilhas, uma localizada no Caribe e a outra na Ásia-Pacífico”.

Felipe Manhães, 24 anos, que disputa uma das vagas para Auditor Público, já entrou com recurso administrativo contra algumas questões. “Todo concurso tem algum erro, mas esse foi demais.” Para o professor de Geografia Fábio Flores, “a questão apontada como certa ignora o fato de China e Cuba não serem ilhas. A China nem metaforicamente poderia ser considerada uma ilha de socialismo na Ásia. Cuba por sua vez também não é ilha, tecnicamente é um arquipélago. Para o público leigo o emprego generalizante do termo ilha à arquipélagos é compreensível, mas quando um avaliador comete este equívoco na elaboração de um exame de seleção é uma falha grave. Num concurso cada ponto pode fazer a diferença no oceano que separam os nomeados dos concurseiros”.

A alternativa, considera correta no gabarito, está gerando polêmica Foto: Reprodução

Outros candidatos, que pediram para não ser identificados, contaram que regras comuns em outros concursos não foram seguidas aqui. As provas foram realizadas em Cachoeiro de Itapemirim e tinham apenas 30 questões de múltipla escolha. “Normalmente não se permite nenhum tipo de papel sobre a mesa. Neste concursos, pediram até para retirar os rótulos das garrafas. Mas o cartão de confirmação da inscrição, que foi levado de casa pelos candidatos, podia ficar sobre a mesa sem problemas”, revelou um candidato a um cargo de nível médio.

O Instituto Idecan foi contratado em outubro de 2014, sem licitação, para organizar o concurso, que oferece 98 vagas, em 30 diferentes cargos, com salários de R$ 724,26 a R$ 2.202,01. Para isso, a Prefeitura de Rio Novo do Sul vai pagar R$ 70 mil. Ao ser procurado pela reportagem, o Secretário Municipal de Administração, Wedson de Souza Menegardo, afirmou que não tinha conhecimento sobre os problemas apontados pelos candidatos, mas garantiu que “se ficar constatado que houve um erro muito grave que possa comprometer a qualidade do concurso, as providencias legais serão tomadas”.

Sobre a contratação do instituto com dispensa de licitação, Menegardo afirmou que “foi feita uma pesquisa com os institutos de maior renome nacional e o Idecan foi um deles. Esse instituto prestou serviços para o Banestes e nós tivemos boas referências. Além disso, entre os institutos pesquisados, esse tinha o preço mais competitivo.”

Procurado, o Idecan informou que “no próprio edital, o IDECAN prevê este direito aos candidatos, de apresentarem recursos a quaisquer questões em que possam se sentir prejudicados.” No caso do concurso da Prefeitura de Rio Novo do Sul, consta no item 8.2: “O candidato que desejar interpor recursos contra os gabaritos oficiais preliminares das provas objetivas disporá de 2 (dois) dias úteis, a partir do dia subsequente ao da divulgação (terça-feira), em requerimento próprio disponibilizado no link correlato ao Concurso Público no endereço eletrônico www.idecan.org.br.”

Ainda segundo a nota oficial, “O IDECAN realiza concursos públicos e processos seletivos em todo o território nacional, tendo atendido a clientes como o Corpo de Bombeiros (MG e RN), INMETRO, Polícia Rodoviária Federal, Instituto Nacional de Tecnologia e inúmeras prefeituras, câmaras municipais e conselhos de classe por todo o país.”