Forças lideradas pela Arábia Saudita atacam rebeldes no Iêmen

Geral

Forças lideradas pela Arábia Saudita atacam rebeldes no Iêmen

Redação Folha Vitória

Sanaa - Rebeldes xiitas no Iêmen e as forças de segurança leais ao ex-presidente Ali Abdullah Saleh lançaram uma ofensiva nesta segunda-feira contra a cidade de Áden, no sudeste do país, em um confronto contra as milícias locais. Os rebeldes foram alvo de pelo menos dois ataques aéreos da Arábia Saudita, segundo autoridades de segurança. Este é o quinto dia de campanha aérea saudita.

Os rebeldes, conhecidos como houthis, por sua vez, acusaram a coalizão liderada pela Arábia Saudita de bombardear um campo de desabrigados no reduto rebelde na província de Saada, matando 40 pessoas, incluindo mulheres e crianças. No entanto, testemunhas disseram à Associated Press que o acampamento atualmente era ocupado pelos houthis e que a maioria dos mortos era combatente.

Os ataques têm como alvo militantes, jatos, sistemas de defesa aérea e plataformas de lançamento de mísseis, que poderiam ameaçar a Arábia Saudita. No final do dia, as autoridades disseram que aviões atingiram áreas perto da palácio presidencial em Sanaa.

Um porta-voz da campanha da Arábia Saudita contra os rebeldes do Iêmen, Ahmed Asiri, disse que as forças navais da coalizão montaram uma base nos portos do país e bloquearam o movimento de navios para impedir a entrada e saída de armas e de combatentes.

Ainda nesta segunda-feira, a China informou que está retirando seus cidadãos do Iêmen e suspendeu as patrulhas antipirataria nas regiões onde a violência é crescente.

Três navios da Marinha chinesa foram desviados para o porto de Áden para resgatar chineses. Cerca de 122 chineses foram retirados do Iêmen para o pequeno país Djibuti, no nordeste da África. As autoridades ainda trabalham para ajudar os mais de 400 chineses restantes, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying. Fonte: Associated Press.