Fortes chuvas no Chile forçam fechamento de minas de cobre

Geral

Fortes chuvas no Chile forçam fechamento de minas de cobre

Redação Folha Vitória

Santiago - A indústria de mineração de cobre do Chile foi atingida por fortes chuvas na região do Atacama, o que forçou o fechamento temporário de algumas das maiores minas do mundo, segundo a firma Canaccord Genuity. A estatal Codelco, maior mineradora de cobre do mundo, suspendeu as atividades em suas minas de Chuquicamata e Radomiro Tomic. A Antofagasta interrompeu os trabalhos em Centinela e Michilla, enquanto a Lundin Mining fechou a mina de Candelária e a Pan Pacific Copper aplicou a medida em Caserones.

O impacto sobre a Anglo American, a BHP Billiton, a Glencore e outras operadoras ainda é incerto, acrescentou a Canaccord. No Peru, a Southern Copper diz que suas minas Toquepala e Cuajone foram atingidas também.

A Cannacord disse que há uma ironia nos fechamento tendo em vista que a indústria de cobre do Chile tem se esforçado para manter ou aumentar a produção diante de uma recente escassez de água.

Protestos ambientais e problemas com fornecimento de energia e água, entre outras questões, na mina de cobre Los Pelambres da Antofagasta levaram a um rebaixamento da recomendação dos papéis da empresa para de "manter" para "vender", de acordo com a Investec. Essas questões estão se tornando problemáticas para todo o setor de mineração do Chile, disse a Investec.

A Antofagasta reduziu recentemente seu dividendo em parte como resultado de dificuldades em Los Pelambres, onde os protestos sobre o impacto da mina na população local interromperam brevemente a produção. "As mais recentes interrupções em Los Pelambres e questões atuais de energia e água e aumento dos impostos estão começando a prejudicar a atratividade pelo Chile, por muito tempo visto como uma das jurisdições mais atraentes para os mineradoras", escreveu a Investec. Fonte: Dow Jones Newswires.