Funcionários reclamam de superlotação em corredor no Hospital São Lucas em Vitória

Geral

Funcionários reclamam de superlotação em corredor no Hospital São Lucas em Vitória

Pacientes em macas nos corredores do hospital, além do calor incomodam quem passa pelo local. Para os pacientes, faltam leitos. Já para quem trabalha no hospital, falta material

Mais de 100 pacientes estão no corredor do hospital  Foto: ​Divulgação

A superlotação do Hospital São Lucas, em Vitória, causou revolta em pacientes, familiares e funcionários nesta segunda-feira (7). 

Pacientes em macas nos corredores do hospital o calor incomodam quem passa pelo local. O pai de Carlos Magno do Nascimento, um idoso de 85 anos, teve um princípio de infarto e está internado há três dias no corredor.

“Um senhor de idade ficar três dias em cima de uma maca, que tem 60 cm e no máximo um metro e pouco de espessura e não acomoda ninguém, ainda mais um senhor de 85 anos. Pra gente isso é um absurdo, revoltante porque trabalhou tanto na vida e hoje precisa de um benefício bom do Estado, mas nós não temos”, disse Carlos.

Para os pacientes, faltam leitos. Já para quem trabalha no hospital, falta material básico e mão de obra para atender as pessoas. A funcionária Rosely Maria de Oliveira da Silva lista os itens necessários que estão em falta no hospital.

“Hoje faltou lençol, que é o principal e básico para a gente poder cuidar. Pacientes estão desde ontem sem tomar banho, nesse calor infernal que está lá dentro. São máquinas sujas de sangue e de secreção, mas você não pode fazer nada. Então, eles vão para a televisão, o secretário diz que está tudo bem, mas não tem nada bem. É tudo notícia falsa porque nós estamos aqui há 12 horas. Estamos vendo o caos que aqui está. Eles estão remendando o São Lucas, eles tapam o buraco e daqui a pouco estão abrindo outro. Isso daqui está cheio de remendo, isso aqui é uma estrutura falida”, desabafa a funcionária.

No dia 21 de fevereiro, a reportagem da TV Vitória foi ao local e mostrou o problema no atendimento e a quantidade de mosquitos no local.

Cobrando por uma solução, os funcionários decidiram procurar as autoridades. Eles pretendem registrar um boletim de ocorrência e afirmam que vão procurar o Ministério Público para relatar o caso. Os funcionários revelaram que cerca de 100 pacientes estão nos corredores sob cuidados de apenas três profissionais.

“Não está tudo bem. Nós que estamos trabalhando, eu principalmente falo nome dos colegas que não podem estar aqui. Não tem nada bem, está faltando equipe para trabalhar. Eles não estão colocando gente para trabalhar, não tem equipe. O corredor funciona com três funcionários para mais de 100 pacientes. A gente vai fazer um boletim de ocorrência e vamos ao Ministério Público para ver se o secretário e o governador tomam ciência de que o São Lucas é referência no Espírito Santo para trauma. Ele é um hospital de porta aberta, que atende todo Estado. Isso aqui está virando um caos”, completa Rosely.

Por meio de nota, o subsecretário estadual de Saúde, Fabiano Marily, informou que, em breve, serão abertos 70 novos leitos, sendo 30 no Hospital Estadual de Urgência e Emergência, em Vitória, e 40 no Hospital Estadual de Vila Velha, que ajudarão a desafogar a demanda do Hospital Estadual São Lucas. Fabiano reconhece o desafio diário de otimizar e humanizar o atendimento ao cidadão e reforça que, em alguns momentos, há uma sobrecarga maior no atendimento, principalmente por vítimas de acidente de trânsito. Não há orientação da direção em negar atendimento e a transferência de pacientes para outras unidades já está sendo providenciada.