• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Guarapari: Moradora de Santa Mônica se queixa de serviço realizado em rua do bairro

Geral

Guarapari: Moradora de Santa Mônica se queixa de serviço realizado em rua do bairro

De acordo com o município, uma equipe voltará ao local nessa quinta (26)

Carolina Brasil

Redação Folha da Cidade
Foto: Leitor/whatsapp
Registro da Rua Anchieta, em Santa Mônica, nesta quarta (26). 

Após reclamação publicada no folhaonline.es, uma moradora da Rua Anchieta, em Santa Mônica, voltou a se queixar de problemas na via.

No último dia 13, ela reclamou das condições da rua, que sofre com alagamentos constantes e falta de manutenção. Na ocasião, o município informou que, naquele momento, não haveria previsão de pavimentação da Rua Anchieta, no bairro Santa Mônica. Mas, que a rua já estaria no banco de dados para integrar futuros processos de pavimentação e que após o período de umidade, uma equipe iria ao local restaurar as condições da via.

De acordo com a moradora, que terá o anonimato mantido, a Prefeitura de Guarapari enviou uma máquina, mas o serviço só piorou a situação. “A máquina passou, um cano estourou com o peso e os entulhos foram jogados para o canto onde o mato continua. É o famoso tapar o sol com a peneira”, descreveu.

Nesta quarta-feira (25), procuramos novamente o município para buscar o posicionamento sobre a situação, data para reparo do vazamento e quando os serviços na rua seriam feitos de forma completa.

Sobre isso, a informação da Secretaria Municipal de Obras Públicas (Semop) é que uma equipe está programada para ir ao local nessa quinta-feira (26) e levará material para ser aplicado de forma paliativa. Sobre o mato e os entulhos, a informação é que a rua foi incluída no cronograma de limpeza da Companhia de Melhoramentos e Desenvolvimento Urbano (Codeg) e será realizado o mais breve possível. A prefeitura lembrou que, em decorrência da pandemia de Coronavírus, o quadro de funcionários da Codeg está reduzido, com 40% dentro do grupo de risco em quarentena.