Covid-19: Vitória fica de fora de consórcio de cidades para compra de vacinas

Geral

Covid-19: Vitória fica de fora de consórcio de cidades para compra de vacinas

Por meio de nota, a prefeitura afirmou que tem interesse na aquisição de vacinas, desde que seja de forma complementar ao papel do Ministério da Saúde e do Governo do estado

Foto: arquivo

A cidade de Vitória não aderiu ao consórcio de prefeituras para agilizar a compra de vacinas contra a covid-19. A capital do Espírito Santo ficou de fora do grupo que conta com 1.703 prefeituras inscritas, incluindo 24 capitais. A adesão ao movimento pró-vacina representa 30,5% das cidades brasileiras e um número de 125 milhões de brasileiros.

Por meio de nota, a prefeitura afirmou que tem interesse na aquisição de vacinas, desde que seja de forma complementar ao papel do Ministério da Saúde e do Governo do estado quanto às políticas públicas de saúde. A prefeitura também informou que já recebeu propostas de vendas de vacina, mas nenhuma delas atendeu as exigências legais.

Seis cidades do Espírito Santo aderiram ao consórcio. Serra, Linhares, Aracruz, Itapemirim, Venda Nova do Imigrante e Ibitirama demonstraram interesse em formar um grupo para adquirir diretamente os imunizantes, segundo a lista divulgada pela Frente Nacional dos Prefeitos (FNP) na última sexta-feira (5).

O prazo para adesão dos prefeitos à iniciativa encerrou na sexta e, segundo a FNP, não será mais prorrogado. A entidade espera que o cons´órcio seja constituído legalmente até 22 de março para, então, iniciar as negociações de compra junto aos laboratórios e farmacêuticas disponíveis.

O movimento das cidades brasileiras por imunização começou após o Superior Tribunal Federal autorizar que Estados e municípios poderiam também negociar e distribuir vacinas, independente do Governo Federal.