ES antecipa abertura de 40 leitos de UTI e reúne entidades para definir ações mais firmes

Geral

ES antecipa abertura de 40 leitos de UTI e reúne entidades para definir ações mais firmes

Governador disse que haverá reuniões com setores empresariais, religiosos e chefes dos Poderes para traçar estratégias de combate à pandemia

Foto: Divulgação

Um total de 40 novos leitos de UTI exclusivos para o tratamento da covid-19 serão abertos nesta segunda-feira (15) no Espírito Santo. Pela manhã, o governador Renato Casagrande fez a entrega de 18 unidades no Hospital Dório Silva, na Serra. Em São José do Calçado, na região sul capixaba, 22 leitos serão entregues durante a tarde.

A expansão acontece no dia em que o Estado apresenta uma taxa de ocupação de leitos exclusivos para a covid-19 de quase 89%, conforme atualização realizada por volta das 8h15 desta segunda. Segundo o governo estadual, 90% de ocupação é o limite para que medidas mais restritivas sejam aplicadas.

Durante a entrega dos leitos no Dório Silva, Casagrande destacou a proposta do Estado de ter 900 leitos UTI para covid até o final de abril. No entanto, reforçou a importância da conscientização da população. 

"Apenas abrir leitos não vai resolver o problema. Hoje à tarde eu vou a São José do Calçado e vamos abrir, no extremo Sul do Estado, 22 leitos no nosso hospital. Fazemos um esforço gigantesco para salvar vidas. Ontem fechamos com 88% de ocupação de leitos de UTI. Estamos chegando perto do nosso limite. Essa noite foi de muita pressão. Pacientes demandando leitos em diversas unidades. Foi uma demanda muito forte. Que possamos fazer uma reflexão das medidas que temos que tomar", afirmou.

De acordo com o governador, nesta segunda, diversas reuniões acontecem para definir os rumos do enfrentamento à pandemia no Espírito Santo. "O Centro de Comando de Controle está se reunindo e o gabinete de crise de resposta rápida está permanentemente reunido, porque nós temos uma situação diferente daquilo que vivenciamos neste período todo da pandemia. Isso, para nós, exige um posicionamento mais firme. Vou me reunir com os chefes dos Poderes hoje. Vou me reunir com as entidades empresariais; com as entidades ligadas à sociedade, como igrejas; com entidades diversas, para que a gente possa explicar a situação e juntos tomarmos medidas que preservem a capacidade nossa de atender a todos os pacientes", disse.

Casagrande lamentou o fato de que muitas pessoas, principalmente os mais jovens, estejam participando de eventos que causam aglomerações e alertou sobre os cuidados, que devem continuar sendo tomados. "Estamos num risco grave e sério neste momento, que exige posição do governo. Mas, mais do que isso, exige responsabilidade de cada um. Temos que ter clareza que é uma situação que se agravou muito no Brasil e no Espírito Santo. Infelizmente ainda vemos pessoas se aglomerando, fazendo festa e provocando a disseminação do vírus. Isso é inaceitável. Tanta gente está precisando de um leito de UTI, mas tanta gente perde a vida".