Sem ônibus, valor de corridas via aplicativos dispara na Grande Vitória; preços chegam a R$ 120

Geral

Sem ônibus, valor de corridas via aplicativos dispara na Grande Vitória; preços chegam a R$ 120

Paralisação dos rodoviários deixou população sem os coletivos do Sistema Transcol; apenas ônibus com ar-condicionado circularam na manhã desta segunda (8)

Nadine Silva Alves

Redação Folha Vitória
Foto: Banco de Imagens / Unsplash

A manhã desta segunda-feira (8), na Grande Vitória, foi um caos para quem precisou do transporte público para chegar aos locais de trabalho, estudo ou outro compromisso, já que precisou colocar a mão no bolso para pagar por uma quantia maior que o normal para chegar ao destino. Isso porque os ônibus foram impedidos de saírem das garagens na manhã desta segunda-feira (8).  

Os passageiros, em pontos de ônibus, contaram que os valores das viagens por aplicativo estavam muito acima do normal. "Fiquei no ponto desde às 5h10, esperando o ônibus, mas fomos surpreendidos, ninguém avisou nada. Fui tentar chamar um carro por aplicativo, mas estava dando R$ 120,00. A empresa não pagou e nem eu tive como condições também", contou uma passageira à TV Vitória nesta segunda-feira (8).

Além dos altos preços, alguns pontos ainda estavam alagados, complicando ainda mais os trajetos. Foi o que aconteceu com a médica Priscila Rezende, que mora em Vila Velha e faz residência no Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes (Hucan), em Vitória. "Na minha primeira tentativa o valor estava em R$ 60, esperei alguns minutos e baixou para R$ 45, em um trajeto que nunca fica mais do que R$ 18. Além disso, o motorista precisou dar voltas para fugir dos alagamentos", disse. 

Uma das explicações para os valores altos são os horários de pico da manhã e da tarde, quando os trabalhadores estão chegando ou indo embora do trabalho. Mas tudo fica mais difícil quando há chuvas e temporais, no caso da Grande Vitória neste domingo, além da greve no transporte público desta segunda. Quando isso acontece, as pessoas começam a solicitar corridas e os preços chegam a ficar até cinco vezes mais caros.

Com informações da repórter Nathalia Munhão / TV Vitória