• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

China sentencia jornalista de 71 anos crítica do Partido Comunista à prisão

Geral

China sentencia jornalista de 71 anos crítica do Partido Comunista à prisão

Pequim - Uma jornalista chinesa de 71 anos tornou-se nesta sexta-feira o terceiro mais idoso crítico do Partido Comunista a ser sentenciado no tribunal em menos de um ano, em mais um sinal de que a tolerância com a dissidência diminuiu sob o governo do presidente Xi Jinping.

A jornalista, Gao Yu, foi sentenciada a sete anos de prisão pelo Terceiro Tribunal Intermediário do Povo de Pequim, após ser considerada culpada em um julgamento fechado por vazar segredos de Estado à imprensa estrangeira, segundo comunicado divulgado pelo serviço de imprensa do tribunal na internet.

Gao era acusada de vazar uma diretiva interna do Partido Comunista para um site de notícias chinesas que fica no exterior em 2013, segundo o advogado dela, Mo Shaoping. Conhecido como Documento n. 9, ele identificava as diretrizes ideológicas que o partido deveria perseguir.

A jornalista admitiu o crime e pediu desculpas, em uma confissão divulgada na televisão estatal em maio. Posteriormente, porém, ela voltou atrás, dizendo que tinha feito a declaração por estar pressionada, após a polícia deter o filho dela. Apesar da retratação, segundo Mo, a confissão foi usada como o cerne do caso dos promotores contra a cliente.

"É absurdo", afirmou o advogado. "Nós não aceitamos o veredicto do tribunal."

Os telefonemas ao tribunal não eram atendidos nesta sexta-feira. A sentença é divulgada em meio a uma ofensiva contra os críticos do regime, incluindo ativistas, advogados, pesquisadores e outros, que foram detidos em alguns casos por períodos pouco usualmente longos. Além de Gao, autoridades processaram dois dissidentes mais velhos: Yiu Man-tin, de 74 anos, editor de livros políticos sentenciado a dez anos por contrabando, e Huang Zerong, 81, escritor mais conhecido como Tie Liu, multado e alvo de uma sentença de dois anos e meio, com suspensão condicional (sursis), por atividades ilegais.

No passado, era raro que autoridades chinesas prendessem críticos mais velhos do regime, que tradicionalmente recebiam advertências discretas quando cruzavam alguma barreira política. A sentença contra Gao "mostra que, independentemente da idade e das condições de saúde, o governo está determinado a combater a liberdade de expressão", afirmou William Nee, pesquisador da Anistia Internacional especializado em China. Gao sofre de pressão alta e tem uma doença no coração, segundo grupos de direitos humanos. Fonte: Dow Jones Newswires.