• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Casagrande admite preocupação com falta de respiradores mecânicos em UTI's

CORONAVÍRUS

Geral

Casagrande admite preocupação com falta de respiradores mecânicos em UTI's

Estrado pretende equipar pelo menos 300 leitos para receber pacientes com covid-19, mas, segundo o governador, a quantidade de equipamentos de que o governo dispõe hoje é suficiente para atender cerca de 250 unidades

Foto: Divulgação

O governador Renato Casagrande afirmou que o Espírito Santo ainda não tem um número suficiente de respiradores mecânicos para equipar os 300 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) que estão sendo preparados no estado para receber os pacientes com quadro mais grave da covid-19. 

Segundo o governador, a quantidade de equipamentos de que o governo dispõe hoje é suficiente para atender cerca de 250 leitos de UTI. Cada unidade necessita de pelo menos um respirador mecânico, uma vez que o paciente encaminhado para essas unidades geralmente apresenta quadro de síndrome respiratória aguda grave.

"Essa virose exige, para quem tem uma situação mais grave, respiradores, e nós não temos respiradores para os 300 leitos ainda. Estamos em processo de compra, de articulação. Então é preciso que a gente continue nesse caminho de reduzir a interação, de aumentar o distanciamento social e isolar as pessoas dos grupos de risco", destacou o governador, durante entrevista coletiva no início da noite desta quarta-feira (08).

>> Coronavírus no ES: 120 leitos de UTI já foram abertos na rede estadual; ideia é chegar a 400

>> Justiça Federal determina entrega de 59 respiradores mecânicos ao hospital Jayme dos Santos Neves

Casagrande avaliar que a estrutura física dos hospitais que estão recebendo esses leitos de UTI é satisfatória. Segundo ele, estão sendo realizadas obras em hospitais como o Himaba e Ferroviários (ambos em Vila Velha), no Hospital Estadual de Atenção Clínica (Heac), em Cariacica, e também no Dório Silva (Serra), São Lucas (Vitória), Roberto Silvares (São Mateus) e Silvio Avidos (Colatina).

"Desde janeiro nós temos nos preparado para termos leitos, mas não temos conseguido na mesma proporção o número de equipamentos. Esse é o maior problema que a gente tem enfrentado. Estamos em uma busca frenética para que a gente consiga mais respiradores", afirmou.

Casos no ES

Até o momento, o Espírito Santo registrou 273 casos do Novo Coronavírus. Desse total, 41 pacientes já estão curados, 180 estão em isolamento residencial e 46 estão internados, sendo 29 em UTIs. Seis mortes foram confirmadas e três seguem em investigação.

Segundo Casagrande, a previsão do governo estadual é de que o pico da pandemia no Espírito Santo aconteça entre o final de abril e o início de maio, quando o avanço dos casos deverá ocorrer em maior velocidade.

"Quando uma pandemia como essa chega ao pico, não significa que ela vai chegar ao pico e vai descer. Ela pode formar um platô e ficar diversos dias nesse topo, só para, depois de muitos dias, começar a reduzir. Até porque nós não temos tratamento para essa doença, não temos vacina para esse vírus", frisou o governador.