Após uma semana com taxa de ocupação de UTI abaixo de 90%, ES tem menor índice desde março

CORONAVÍRUS

Geral

Após uma semana com taxa de ocupação de UTI abaixo de 90%, ES tem menor índice desde março

Nesta terça-feira (27), de acordo com o Painel Ocupação de Leitos Hospitalares, a taxa de ocupação no estado foi de 86,13%, a menor em um mês e meio

Foto: Diego Simão/TV Vitória

Há exatamente uma semana a taxa de ocupação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para o tratamento da covid-19 está abaixo de 90%. A última vez em que ela esteve acima desse patamar foi no dia 19, quando ficou em 90,77%. Até então, o índice de ocupação nas UTIs estava acima dos 90% desde o dia 16 de março.

Nesta terça-feira (27), de acordo com o Painel Ocupação de Leitos Hospitalares, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a taxa de ocupação foi de 86,13% — a menor desde o dia 13 de março (84,67%). Das 1.067 vagas abertas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nas unidades de tratamento intensivo para a covid-19 no Espírito Santo, 919 estão ocupadas.

Foto: Reprodução

Tanto o governo do Estado como médicos que atuam na linha de frente do combate ao coronavírus no Espírito Santo acreditam que essa redução da demanda por leitos é reflexo da queda do número de casos. Durante coletiva de imprensa, na tarde de segunda-feira (26), o secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, confirmou a tendência de queda nos números.

"O Estado do Espírito Santo consolida a tendência de queda de casos da covid-19. Nós mantemos uma redução substancial do número de pacientes novos com solicitações de internação nos PAs, em toda a rede pré-hospitalar do Estado do Espírito Santo, mantemos uma tendência de queda nas taxas de ocupação de UTIs e consolidamos uma ocupação de enfermaria próxima a 60%. É possível que, ao longo do mês de maio, o Espírito Santo alcance uma taxa de ocupação de UTI inferior a 80%", afirmou o secretário.

O subsecretário estadual de Regulação, Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa dos Santos, atribui a queda na taxa de ocupação à redução de novos casos de covid-19 no estado. "Isso mostra que essas medidas restritivas levaram à diminuição dessa transmissão da doença, consequentemente diminuindo um pouco a ocupação de leitos, além da nossa intensificação, em todos os municípios, com relação à aplicação da vacina", destacou.

O subsecretário, no entanto, alerta que o Espírito Santo ainda vive um momento muito delicado da pandemia. "Estamos retomando as nossas atividades eletivas a partir de segunda-feira, dia 3. Voltamos a fazer novamente as consultas médicas, os exames especializados, e retomamos as cirurgias eletivas para atendimento a toda a sociedade, mantendo, de fato, todos os cuidados para não aumentar a transmissão", ressaltou.

O médico intensivista Otílio Canuto disse que já sente a redução na demanda por vagas de UTI no hospital onde trabalha, em Vila Velha. "Nós temos dois leitos vagos, tem um leito já regulado, que vai vir um paciente de outra unidade. Mas isso é uma coisa que não ficava não. O nosso leito vago rapidinho era preenchido. Então parece ser uma melhora mesmo", contou.

Canuto afirma que não tem dúvidas sobre a causa da queda pela procura de novos leitos. "Acredito que teve sim uma redução de casos de covid, a doença disseminou menos nesse período. E com menos pessoas doentes, menos solicitações de vagas de UTI. Então acredito que a doença deu uma freada nesse período", frisou.

Com informações do repórter Álvaro Zanotti, da TV Vitória/Record TV