'Barulho muito forte, pensamos que fosse trovão', diz morador sobre desabamento de piscina

Geral

'Barulho muito forte, pensamos que fosse trovão', diz morador sobre desabamento de piscina

Maior parte dos 270 moradores que vivem nos 90 apartamentos do edifício Parador, na Praia de Itaparica, em Vila Velha, foram levados para um hotel

Foto: Gabriela Valdetaro | TV Vitória

Os moradores do Edifício Parador, na Praia de Itaparica, em Vila Velha, ficaram assustados com o desabamento da piscina do condomínio, na noite desta quinta-feira (22). Por questões de segurança, eles foram orientados a deixar os apartamentos.

Minutos após o fato, o morador Ubiracy Fonseca conversou com a reportagem da Rede Vitória e relatou o momento do desabamento. "O barulho foi muito grande, bem forte. Pensamos até que fosse um trovão, mas foi muito mais do que um trovão normal. Olhamos da varanda e vimos que estava saindo muita água do prédio. Pegamos algumas coisas e descemos rapidamente. Graças a Deus, não aconteceu nenhum problema maior", disse.

O Willian Miranda, que também é morador do edifício, saiu de casa apenas com a roupa do corpo. "Eu pensei que era um raio. Fui olhar pela varanda e observei que estava vazando muita água. Fiquei preocupado, vi que não estava chovendo. Tentei ligar para a portaria, mas ninguém atendia", contou. 

O condomínio foi entregue pela construtora Argo em 2018. Alguns moradores contaram que a piscina do edifício ficou interditada por três meses no ano passado por conta de um vazamento. A preocupação dos moradores agora é com as outras áreas comuns do edifício. 

O prédio foi evacuado e a maior parte dos 270 moradores foi encaminhada para um hotel disponibilizado pela construtora Argo. Outros seguiram para a casa de familiares.

Na manhã desta sexta-feira (23), equipes da Defesa Civil Municipal, da Defesa Civil Estadual e engenheiros da Argo se reúnem para fazer outra avaliação mais detalhada do edifício. 


Veja vídeos:

Vistoria

Nesta sexta-feira (23), o edifício passa por vistorias técnicas e fiscal do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) e da Defesa Civil. Equipes de fiscais e especialistas do Conselho estão no local para analisar a situação, buscar identificar as possíveis causas do acidente, verificar registros de projetos e de responsabilidade técnica. A previsão é de que o trabalho dos engenheiros especialistas do Conselho prossiga durante todo o dia.

Foto: Arleson Schneider / TV Vitória

De acordo com o gerente de fiscalização do Crea, Leonardo Leal, uma análise do projeto do edifício será realizado para verificar as causas do desabamento, mas adianta que o aço - chamado de engastamento - que passa pela piscina não estava preso.

"À princípio, foi uma falta de engastamento entre o fundo da piscina com a viga. Não atingiu nenhum veículo, mas danificou bastante os pilares. Corre o risco de ceder, pois a área está escorada, mas é paliativo. Será feito um escoramento aprimorado hoje (sexta)", explicou.

Leal afirmou que o Crea vai orientar a Defesa Civil para manter os moradores fora do local por enquanto. "A principio os moradores não podem voltar para o local. O escoramento será reforçado e será feito um reforço estrutural. Não é o Crea que define isso, mas vamos sugerir a Defesa Civil para desinterditar somente quando os moradores tiverem a segurança necessária", disse.

"Quando acontece isso numa obra, pode ser um erro de projeto ou erro de execução. Ainda não sabemos, pois ainda não chegou o projeto em nossas mãos. Vamos analisar para saber se foram feitos os procedimentos adequados nas normas de engenharia", completou.

Por nota, a Defesa Civil Municipal de Vila Velha informou que, com o auxílio da Guarda Municipal, isolou o edifício e um trecho da Rua Itapemirim, próximo ao prédio. Segundo o órgão, inicialmente não há risco estrutural iminente. A orientação aos moradores é de que não fiquem no local, que já está recebendo escoramento realizado pela construtora responsável.

Por nota, a Argo, construtora responsável pelo edifício, informou que está prestando a assistência necessária às famílias, além de colaborar com as autoridades e órgãos competentes para apurar as causas do desabamento e destacou que não houve feridos

Edifício Parador

O empreendimento de luxo tem mais de 30 opções de lazer, incluindo playground, praça das mães, lan house, brinquedoteca, salão de jogos, babylândia, boteco, churrasqueiras, espaço gourmet, deck/solarium infantil, piscina infantil, quadra esportiva, espaço mulher, sala de massagem, hidromassagem, SPA, sauna, terraço gourmet, piscina com raia, salão de festas, fitness, car wash, e beach point. 

*Com informações dos repórteres Gabriela Valdetaro e Arleson Schneider, da TV Vitória/Record TV