Com Coronavac em falta em 37 cidades do ES, Sesa recomenda uso da AstraZeneca para 1ª dose

VACINAÇÃO NO ESPÍRITO SANTO

Geral

Com Coronavac em falta em 37 cidades do ES, Sesa recomenda uso da AstraZeneca para 1ª dose

Além disso, a recomendação da Secretaria da Saúde é que as doses remanescentes da Coronavac sejam reservadas pelos municípios para a aplicação da segunda dosagem

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Diante da falta de doses da Coronavac para a segunda aplicação da vacina na população, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) tem orientado os municípios capixabas, enquanto a situação não é normalizada, a usarem apenas os imunizantes da Oxford/AstraZeneca para iniciarem a vacinação em novos grupos prioritários.

Além disso, a recomendação da Sesa é que as doses remanescentes da Coronavac sejam reservadas pelos municípios para a aplicação da segunda dosagem. "Nós temos o compromisso do Ministério [da Saúde] que, na semana que vem, ele inicia a normalização do fornecimento da Coronavac. Então nós definimos, junto com os municípios, que aqueles que têm alguma dose de Coronavac não iniciem em grupos novos agora, mas sim utilizem para fazer a segunda dose de quem está aguardando", destacou o subsecretário de Vigilância em Saúde do Estado, Luiz Carlos Reblin.

Nesta quarta-feira (28), a Secretaria da Saúde informou que subiu para 37 o número de cidades capixabas que estão sem doses da Coronavac para fazerem a segunda aplicação. Na terça-feira (27), eram 26 municípios nessa condição.

Em Guarapari, a aplicação da segunda dosagem foi suspensa nesta quarta-feira. Segundo a prefeitura, o motivo foi a redução significativa da quantidade de doses enviadas aos estados e municípios. A administração municipal informou ainda que a aplicação será retomada quando chegar uma nova remessa.

Leia também: ES receberá mais de 106 mil doses de vacina contra a covid-19 nesta semana, diz Casagrande

A falta de vacina para a segunda dose tem sido uma reclamação recorrente nas redes sociais. Muitos se queixam de não terem conseguido tomar a segunda dose da Coronavac no prazo determinado pelo fabricante, de 28 a 30 dias.

Luiz Carlos Reblin afirma, no entanto, que tomar a segunda dose mais de 28 dias depois da primeira não prejudica a imunização. "O Ministério da Saúde e os especialistas dizem: 'não deixe de tomar a segunda dose, independente do prazo percorrido'. Ainda mais que esse prazo será muito pequeno. Então há uma expectativa de que não haverá prejuízo para a resposta imunológica da vacina, tendo em vista esse aumento de prazo para tomar a segunda dose", ressaltou.

Já o intervalo entre uma dose e outra da vacina da AstraZeneca, que está sendo indicada pela Sesa para a aplicação da primeira dosagem, é maior: 12 semanas. "Como a AstraZeneca chega esta semana, se precisar iniciar uma vacinação em algum grupo novo, de faixa etária, alguma questão assim, que utilize a vacina da AstraZeneca", frisou o subsecretário.

Leia também: Grávidas com comorbidades devem ser vacinadas na próxima semana no ES

O que dizem as prefeituras

Além de Guarapari, a produção da TV Vitória/Record TV entrou em contato com outras prefeituras da Grande Vitória, para saber sobre como estão lidando com a escassez da vacina produzida pelo Instituto Butantan. 

A Prefeitura da Serra informou que todas a doses da Coronavac armazenadas serão usadas para a segunda dosagem e que os agendamentos para a primeira dose, abertos nesta semana, serão de doses AstraZeneca/Oxford.

A Prefeitura de Vitória informou que está aplicando a segunda dose da Coronavac em pessoas acamadas ou restritas ao leito e que, nesta quarta, aplicou a primeira dose da vacina AstraZeneca/Oxford em idosos com 60 anos ou mais e profissionais da saúde.

Vila Velha disse que iniciou uma busca ativa por moradores que não tomaram a segunda dose no prazo e que 500 pessoas devem ser vacinadas até esta sexta-feira (30).

Já as prefeituras de Cariacica e Viana informaram que vão seguir a orientação da Secretaria Estadual de Saúde.

Com informações da repórter Fernanda Batista, da TV Vitória/Record TV