Defesa Civil de Vila Velha libera prédio onde piscina desabou, mas moradores decidem não voltar

Geral

Defesa Civil de Vila Velha libera prédio onde piscina desabou, mas moradores decidem não voltar

Após vistoria em condomínio de luxo na Praia de Itaparica, Defesa Civil descartou risco estrutural; apesar da liberação, sistema de gás ainda não funciona

Marcelo Pereira

Redação Folha Vitória
Foto: Defesa Civil/Vila Velha

A Defesa Civil de Vila Velha liberou o retorno dos moradores para o edifício Parador, na Praia de Itaparica, na tarde desta sexta-feira (23). O prédio foi evacuado na noite da última quinta após a piscina desabar sobre a garagem do empreendimento. 

O órgão relatou que, pela manhã, foi apresentado uma ART (Anotação de Responsabilidade Técnica) assinada por engenheiros da construtora Argo, atestando que há segurança no empreendimento. "Sendo assim, a Defesa Civil de Vila Velha retirou a orientação preventiva de evacuação do condomínio. A construtora irá realizar os reparos necessários", informou em nota. 

O síndico do empreendimento, Gilmar Assumpção, no entanto, disse que o retorno ficará para a próxima semana. "Não podemos voltar hoje (nesta sexta, 23) pois a tubulação de gás está avariada e necessita de reparos. Além disso, vamos esperar as obras de manutenção feitas pela construtora antes de ocuparmos novamente os apartamentos", comunica. Os cerca de 270 moradores dos 90 apartamentos do prédio foram levados para hoteis.

Ao longo de toda esta sexta-feira, foi feita manutenção envolvendo escoramento da coluna central do prédio. O trabalho foi realizado pela construtora, que também enviou engenheiros ao local. As inspeções contaram ainda com representantes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) e da Defesa Civil de Vila Velha.

Logo pela manhã, o gerente de fiscalização do Crea, Leonardo Leal, adiantou que uma das causas para o desabamento seria uma falta de ligação entre o fundo da piscina e a viga. Chamado de engastamento, o aço não estaria preso. "A princípio, foi uma falta de engastamento entre o fundo da piscina com a viga. Não atingiu nenhum veículo, mas danificou bastante os pilares. Corre o risco de ceder, pois a área está escorada, mas é paliativo. Será feito um escoramento aprimorado hoje (sexta)", explicou. Ele também apontou problemas de oxidação e corrosão na estrutura.

Construtora marca retorno de moradores a partir de terça (27)

Por nota, a Argo, construtora responsável pelo edifício, destacou que prestou e mantém toda a assistência necessária às famílias do prédio, além de colaborar com as autoridades e órgãos competentes. Também reforça que não houve feridos. "O retorno acontecerá até terça-feira (27), a fim de resguardar a segurança dos moradores, evitando possíveis aglomerações e alto fluxo de prestadores de serviço nesse momento de pandemia. Nesse período a Argo vai continuar a arcar com as despesas de hotel e afins", acrescentou.

Relembre o caso

A piscina do condomínio de luxo Parador desabou sobre a garagem do prédio na noite de quinta-feira (22). Não houve feridos. Inicialmente, os moradores precisaram deixar os apartamentos, pois a piscina contava com aquecimento a gás e, devido ao desabamento, houve vazamento do material e o edifício foi evacuado por segurança. 

O condomínio foi entregue pela construtora Argo em 2018. Alguns moradores contaram que a piscina do edifício ficou interditada por três meses no ano passado por conta de um vazamento. 

Leia também: 'Barulho muito forte, pensamos que fosse trovão', diz morador sobre desabamento de piscina

Leia também: Vídeos mostram momento exato em que piscina desaba em prédio de Vila Velha