Detran suspende assinatura de contrato de cerco eletrônico nas rodovias do ES

Geral

Detran suspende assinatura de contrato de cerco eletrônico nas rodovias do ES

Recomendação do Ministério Público Estadual ocorreu na última semana após denúncias de irregularidades no processo de licitação

Foto: Reprodução

A recomendação do Ministério Público do Espírito Santo (MPES) para que o Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran/ES) suspendesse, por 120 dias, processo licitatório que trata da contratação de cerco eletrônico para o monitoramento de rodovias do Estado, foi acatada pelo órgão.

Por meio de nota, o Detran afirmou que vai suspender a efetivação da homologação e assinatura do contrato pelo prazo estipulado "ou até a conclusão da investigação, sem prejuízo da realização dos demais atos procedimentais prévios à contratação”.

A recomendação do MPES ocorreu na última semana. Na decisão, o promotor de Justiça Rafael Calhau Bastos considera uma série de fatores a serem investigados para avaliar suposto direcionamento de licitação.

Dentre eles, "os termos da representação ofertada pelo deputado estadual Carlos Von (...) relatando a existência de arquivos extraídos de um suposto pen drive divulgado na internet, com documentos que comprovariam o eventual direcionamento de licitação".

O promotor ainda aponta o "teor da Notícia de Fato, encaminhada pelo 24º Promotor de Justiça Cível de Vitória, na qual também é relatado que, supostamente antes da realização da licitação, o consórcio integrado pela empresa Dahua seria o vencedor".

Rafael Calhau recomendou que o Detran enviasse, no prazo de 72 horas, toda documentação produzida após a disputa licitatória, especialmente "dos relatórios de análise técnica de atendimento ou não, pelo consórcio vencedor, dos requisitos do edital". Também tinha dado o prazo de 5 dias para que o órgão encaminhasse à promotoria cópia dos documentos do processo de licitação.

Veja a íntegra da nota do Detran/ES:

“O Detran|ES informa que acatou a decisão do MPES, de modo a suspender a efetivação da homologação e assinatura do contrato do Cerco Inteligente de Segurança, pelo prazo de 120 dias, ou até a conclusão da investigação, sem prejuízo da realização dos demais atos procedimentais prévios à contratação”