Mais da metade das cidades do ES não tem 2ª dose da Coronavac; veja a lista

VACINAÇÃO NO ESPÍRITO SANTO

Geral

Mais da metade das cidades do ES não tem 2ª dose da Coronavac; veja a lista

Subsecretário de Vigilância em Saúde, Luiz Carlos Reblin, frisou que o Ministério da Saúde garantiu que, até a semana que vem, o problema será resolvido, o que deve normalizar os estoques nesses municípios

Foto: Prefeitura de São Paulo

A quantidade insuficiente de vacinas Coronavac que o Espírito Santo recebeu nas últimas remessas já provocou falta de doses para a segunda aplicação em mais da metade dos municípios capixabas. 

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), atualizadas nesta quinta-feira (29), 42 das 78 cidades do Espírito Santo já estão sem doses da vacina do Instituto Butantan em seus estoques, para a segunda dosagem.

Os municípios nessa situação são:

1. Afonso Cláudio
2. Aguia Branca
3. Alegre
4. Alfredo Chaves
5. Alto Rio Novo
6. Anchieta
7. Apiacá
8. Aracruz
9. Barra de São Francisco
10. Bom Jesus do Norte
11. Brejetuba
12. Conceição da Barra
13. Conceição do Castelo
14. Dores do Rio Preto
15. Ecoporanga
16. Fundão
17. Guarapari
18. Ibatiba
19. Iconha
20. Itarana
21. Irupi
22. Iúna
23. Jeronimo Monteiro
24. João Neiva
25. Laranja da Terra
26. Linhares
27. Mantenópolis
28. Marataízes
29. Marechal Floriano
30. Marilândia
31. Montanha
32. Pancas
33. Ponto Belo
34. Presidente Kennedy
35. Rio Bananal
36. Santa Maria de Jetibá
37. São José do Calçado
38. São Mateus
39. Venda Nova do Imigrante
40. Viana
41. Vila Pavão
42. Vila Valério

Em vídeo divulgado na quarta-feira (27), o subsecretário de Vigilância em Saúde do Estado, Luiz Carlos Reblin, frisou que o Ministério da Saúde garantiu que, até a semana que vem, o problema do desabastecimento da Coronavac será resolvido, o que deve normalizar os estoques dessas 42 cidades capixabas que estão sem doses do imunizante. "O Ministério da Saúde está assumindo o compromisso de, na semana que vem, regularizar o fornecimento dessas doses da Coronavac", afirmou.

Durante um pronunciamento à imprensa no Palácio do Planalto, na quarta-feira, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o governo federal espera regularizar, na semana que vem, a aplicação da segunda dose da Coronavac, pendente por conta do atraso na entrega do imunizante. Na ocasião, Queiroga citou que a demora na entrega de vacinas pelo Instituto Butantan decorreu principalmente do atraso na chegada do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), vindo da China.

Reblin explicou ainda que o Ministério da Saúde havia orientado, em remessas anteriores, que os estados utilizassem as doses da Coronavac para a primeira aplicação em novos grupos prioritários. No entanto, com o desabastecimento da vacina, muitas cidades, em todo o Brasil, estão com dificuldades de fazer a aplicação da segunda dose do imunizante.

"Tendo em vista a orientação que o Ministério da Saúde fez nas remessas 8, 9 e 10 da vacina Coronavac, de que todas as doses deveriam ser utilizadas para aplicar a primeira dose, neste momento nós estamos enfrentando uma dificuldade, que não é só do Espírito Santo, para aplicar a segunda dose nas pessoas que estavam agendadas, especialmente para esta semana. Para essas pessoas, a gente orienta que aguardem o anúncio da chegada dessas doses e, depois, o agendamento que cada cidade vai realizar, para receber a segunda dose. Não deixe de agendar. A segunda dose precisa ser feita porque é ela que vai consolidar a imunidade no seu organismo", ressaltou o subsecretário.