Pais de alunos protestam e pedem volta das aulas presenciais no ES

Geral

Pais de alunos protestam e pedem volta das aulas presenciais no ES

O grupo colocou cadeiras e balões pretos em frente a Assembleia Legislativa do Espírito Santo

Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal

Um grupo de pais de estudantes realizou um protesto na tarde desta segunda-feira (19), em frente a Assembleia Legislativa do Espírito Santo, em Vitória. Os manifestantes pediram a volta das aulas presenciais no Estado.

Os pais dos alunos colocaram cadeiras e usaram balões pretos para simbolizar o luto pela educação. Os manifestantes também usaram faixas para protestar. Bárbara Campos, uma das organizadoras, explicou que o objetivo do protesto foi sensibilizar as autoridades sobre a situação dos alunos que estão sem aula. 

"Nossos filhos estão tendo perdas significativas tanto social, quanto cognitivas e emocionais. Nosso intuito é que as escolas sejam as últimas a fecharem e as primeiras a abrirem, pois o protocolo de segurança estipulado pelas secretárias de Educação e de Saúde é bem rigoroso", afirmou.

Bárbara destacou ainda, que o grupo que participou do ato, cerca de 35 a 40 pessoas, é favorável ao retorno híbrido, seguro e que os pais que não se sentirem confortáveis em enviar os filhos as escolas não sejam obrigados. 

Nas redes socais, o Movimento Pais Pela Educação divulgou um vídeo com um registro do protesto realizado nesta segunda-feira. 

Na última sexta-feira (16), o governador Renato Casagrande anunciou mudanças nas medidas de enfrentamento ao cotonavírus no Estado na área da educação. 

Agora, os municípios classificados em risco alto, que já podiam ter aulas presenciais em cursos das áreas da saúde e segurança pública, também poderão realizar atendimentos individualizados dos estudantes. Os professores poderão receber os estudantes na sala de aula para tirar dúvidas e dar orientações.  

Nas 30 cidades que atualmente estão classificadas em risco extremo, incluindo toda a Grande Vitória, as aulas só podem ocorrer na modalidade remota. Já nos municípios classificados em risco moderado, as escolas podem abrir para atividades com a presença de alunos, seguindo regras como o uso de máscara e de álcool gel.