Prefeitura da Serra quer apoio do Exército para fiscalizar quem anda sem máscara nas ruas

Geral

Prefeitura da Serra quer apoio do Exército para fiscalizar quem anda sem máscara nas ruas

Desde segunda-feira (26) está em vigor um decreto municipal que prevê, entre outras medidas, multa para quem não utilizar o acessório de proteção

Foto: Divulgação

A Prefeitura da Serra encaminhou, nesta terça-feira (27), um ofício ao Ministro da Defesa, Walter Souza Braga Netto, solicitando apoio do Exército no combate à pandemia do coronavírus no município. O pedido é para que a corporação auxilie na abordagem à população e garanta o cumprimento das medidas preventivas contra a covid-19.

Um dos itens a ser fiscalizado é o uso de máscaras nas ruas da cidade. Desde segunda-feira (26) está valendo um decreto municipal que prevê, entre outras medidas, multa para quem não utilizar máscara de proteção facial no município.

Segundo o texto, fica obrigatório o uso de máscara em todos os espaços públicos e privados, incluindo comércio, indústria, igrejas, condomínios residenciais, escolas, repartições públicas, ônibus, transporte por aplicativo e táxi. O decreto abre exceção para pessoas que tenham algum tipo de deficiência que dificulte o uso adequado da proteção e para crianças com menos de 3 anos.

No caso de recusa ou insistência no descumprimento da obrigatoriedade da utilização de máscaras em locais privados, os responsáveis ou proprietários deverão solicitar a imediata retirada do infrator do local, utilizando, se necessário, auxílio de força policial.

A Prefeitura da Serra destacou que o apoio da guarnição do Exército brasileiro é de suma importância no auxílio da execução de medidas preventivas dos protocolos sanitários estabelecidos, objetivando alcançar um maior número de abordagens e sensibilização social para restrição da interação social. No documento, a prefeitura ressalta que o momento enfrentado pela cidade é gravíssimo. 

Atualmente, a Serra é o município capixaba com o maior número de casos de covid-19 registrados desde o início da pandemia, com 54.095 registros. Além disso, é o segundo em quantidade de óbitos, com 1.108 mortes contabilizadas até o momento.

Fiscalização em terminais

Além de pedir o apoio ao Exército, a administração municipal encaminhou uma solicitação ao diretor-presidente da Companhia Estadual de Transportes Coletivos de Passageiros do Estado do Espírito Santo (Ceturb), Raphael Trés, para que a companhia permita que o município fiscalize os terminais de passageiros localizados na cidade.

O motivo da solicitação, segundo a prefeitura, é o fato de que, por esses locais, passam milhares de pessoas. “O objetivo é se fazer cumprir os protocolos sanitários estabelecidos de combate da pandemia”, destacou o município no ofício.

Multa

A multa para quem descumprir o decreto municipal, publicado no Diário Oficial da última segunda-feira, é de R$ 550 para pessoas físicas; R$ 1467,20 para microempresa ou empresa de pequeno porte; e de R$ 4 mil reais para as demais empresas. 

O estabelecimento ainda pode ser interditado para passar por adequações ou ter o alvará cancelado de forma definitiva se for constatada reincidência. Ainda segundo o texto, a multa poderá ser aplicada por "qualquer autoridade municipal incubida da fiscalização para combate e prevenção ao surto da covid-19".

Segundo o decreto, haverá ampla campanha educativa antes do início da aplicação das multas e a fiscalização será realizada de forma integrada pelas secretarias municipais. 

"Qualquer autoridade municipal incumbida da fiscalização para combate e prevenção ao surto da covid-19 poderá aplicar multa às pessoas físicas ou jurídicas que incorrerem em infração." O decreto vai funcionar durante o estado de calamidade ou de emergência em saúde pública causado pela pandemia da covid-19.