Rodoviários afirmam que 30 profissionais morreram por covid-19 e querem vacina

Geral

Rodoviários afirmam que 30 profissionais morreram por covid-19 e querem vacina

Os ônibus do Transcol só começaram a circular por volta das 09 horas, deixando a população sem ônibus no início da manhã

Foto: Arleson Schenider

O dia começou com paralisação das atividades do sistema Transcol, prevista para retornar nesta terça-feira (13), após ficarem suspensas por cerca de duas semanas. A reivindicação é pela prioridade na fila da vacinação para rodoviários de transporte coletivo.

Segundo o presidente do Sindirodoviários, Valdeci Laurindo, a preocupação é com o crescente número de casos da doença em meio aos profissionais da categoria. "Já perdemos mais de 30 rodoviários para a covid. Alguns ainda estão internados ou intubados. Os motoristas estão na linha de frente e todos estão assustados e com medo. Também somos essenciais e queremos nossa vacina", disse.

O representante ainda disse que as secretarias de Mobilidade e de Saúde já foram notificados com a reivindicação. "Sabemos que muitos voltariam a trabalhar hoje, mas precisamos tomar uma atitude", afirmou.

Em entrevista ao jornal online Folha Vitória nesta manhã, o diretor do Sindirodoviários, Miguel Leite, afirmou que a categoria aguarda um posicionamento do governo em relação à vacinação. 

"Vamos esperar o governo dar o próximo passo para, então, darmos mais um passo. O governo está vacinando os policiais, por exemplo, mas e nós que estamos dentro dos terminais e ônibus lotados? Não que eles não sejam importantes, mas nós também somos. Protocolamos um pedido em janeiro e, no dia 6 de abril, fizemos mais um pedido, mas o governo não deu resposta. Sobre fazer um novo protesto, depende muito do que vai acontecer daqui pra frente", afirmou. 

O secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Damasceno, afirmou que a pasta também foi surpreendida pela manifestação. "Existe uma reivindicação do pessoal que está na linha de frente do transporte público, mas fomos pegos de surpresa. Muitos profissionais dos hospitais, que precisam trocar de turno, estão sem transporte. É uma forma irresponsável de chamar a atenção para o assunto", disse.

As interdições ocorreram por volta das 4h30. Por este motivo, alguns ônibus chegaram a sair das garagens antes deste horário. Representantes do sindicato afirmaram que a liberação dos veículos será realizada às 9 horas.

A manifestação surpreendeu a população, inclusive os profissionais de Saúde, que dependem dos veículos para troca de turnos nos hospitais e postos de atendimento. Em vários pontos da Grande Vitória, muitas pessoas aguardam a chegada de veículos.

Procurada, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que os grupos prioritários para vacinação Covid-19 são definidos pelo Ministério da Saúde, e o cronograma do Espírito Santo segue a indicação do Plano Nacional de Vacinação.