Bombeiros descartam 5º vítima em prédio que desabou e buscas são encerradas

Geral

Bombeiros descartam 5º vítima em prédio que desabou e buscas são encerradas

Com o fim das buscas, que duraram quase 20 horas, foi confirmada a morte de três pessoas da mesma família

Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória
Foto: Corpo de Bombeiros/Divulgação

O Corpo de Bombeiros não confirmou a presença de uma quinta vítima no prédio que desabou no bairro Cristóvão Colombo, em Vila Velha. A princípio, testemunhas afirmaram que uma amiga da família também estava na residência, mas a informação não foi confirmada pelas equipes que atuaram no local. 

Com o fim das buscas, que duraram quase 20 horas, foi confirmada a morte de três pessoas da mesma família: Eduardo Cardoso, de 68 anos, que era o dono do imóvel, a filha dele, Camila Morassuti Cardoso, de 34 anos, e a neta do idoso, Sabrina Morassuti, de 15 anos.

A filha mais velha de Eduardo, Larissa Morassuti, de 37 anos, foi resgatada com vida e está na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da Grande Vitória. O resgate dela aconteceu cerca de 4 horas após o incidente. 

Foto: TV Vitória

Cerca de três horas depois, a segunda vítima foi localizada. Camila, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. O corpo foi encaminhado ao Departamento Médico Legal, em Vitória.

Logo após o resgate de Camila, os bombeiros conseguiram localizar a filha dela, de 15 anos. Sabrina conversou com a equipe durante a tarde e as equipes conseguiram resgatá-la a noite, mas foi constatado que a menina também estava sem vida.

Os trabalhos continuaram durante toda a madrugada, até que foi encontrado também o corpo de Eduardo, dono do imóvel. 

Vídeo registrou explosão e momento que prédio desabou

O prédio de três andares desabou no início da manhã de quinta-feira (21). O incidente aconteceu por volta das 7h15. Um vídeo obtido em primeira mão pela equipe da TV Vitória/Record TV registrou o momento em que ocorre uma explosão e o prédio desaba.

Moradores da região contaram que ouviram uma forte explosão e notaram que as janelas estavam quebradas. Quando saíram na rua, viram que o prédio estava completamente destruído.

Prédio era irregular, diz Crea-ES

Os engenheiros do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES) realizaram a vistoria fiscal do prédio. Segundo o órgão, o imóvel era considerado irregular. 

Os especialistas do Conselho constataram que o prédio foi construído sem projetos, responsabilidade técnica, acompanhamento de um profissional de engenharia ou em cumprir as Normas Brasileiras Regulamentadoras (NBRs).

O conselho ainda não fez a vistoria técnica, que deve ser realizada agora, após conclusão da operação de resgate do Corpo de Bombeiros, que durou quase 20 horas.

Saiba mais: Prédio que desabou em Vila Velha era irregular, diz Crea-ES

Pontos moeda