Número da placa de moto em capacete gera polêmica em Cachoeiro de Itapemirim

Geral

Número da placa de moto em capacete gera polêmica em Cachoeiro de Itapemirim

Motociclistas de Cachoeiro de Itapemirim podem ser obrigados a usar a placa da moto no capacete. A proposta de lei serviria para diminuir a criminalidade na cidade

Caso seja aprovado, motociclistas terão que usar número de placa no capacete. Foto: Divulgação

Placas de motocicletas nos capacetes pode ser a nova obrigação para os motociclistas de Cachoeiro de Itapemirim, no sul do Estado. O projeto de lei é do vereador Brás Zagotto (SDD). O parlamentar defendeu a ação na última terça-feira (12), na Câmara de de Cachoeiro de Itapemirim e contou com o apoio do delegado Guilherme Eugênio, da Delegacia de Crimes Contra a Vida (DCCV) do município. Cerca de 80% dos crimes cometidos na cidade são praticados por pessoas usando motos e se protegendo de identificação com capacetes. 

Se aprovada, a lei prevê que todos os motociclistas coloquem o número da placa da moto no capacete, uma espécie de adesivo que serviria de identificação. “Com essa identificação o bandido quando for assaltar uma loja será flagrado pelas câmeras e vai ser mais fácil identificá-lo”, falou o vereador, que acredita que os crimes desse tipo serão reduzidos em até 30%. 

Para o presidente do Sindicato dos Motociclistas Alexandro Martins Costa, o projeto de lei é um absurdo. “Eu não concordo, o capacete é um equipamento de proteção individual, não se emplaca capacete. O bandido usa até placa fria para assaltar de moto, ele vai tirar o adesivo ou falsificar o número”, afirmou Costa. E garante que se aprovada o sindicato vai se manifestar para derrubar a lei. 

Com a placa no capacete, as pessoas ficariam impossibilitadas de emprestar o capacete. Questionado sobre roubos do capacete, o vereador informou que o proprietário teria que prestar um boletim de ocorrência caso isso ocorresse. 

O projeto de lei já está tramitando na casa, e em até 45 dias será possível ter o resultado. “Quase 90% da Casa vai votar favorável a projeto de lei”, garante Brás. Se aprovada a lei vai começar a ser praticada ainda neste ano, e será fiscalizada pelos guardas de trânsito do município. Quem não se adequar a lei poderá pagar multa de R$ 549,00.

A lei de placas nos capacetes já existe em Manaus e há propostas semelhantes para o Rio de Janeiro, além de países como Colômbia, Venezuela e Bolívia.