O que não pode faltar no convite de casamento

Geral

O que não pode faltar no convite de casamento

O convite pode – e deve! – ter a cara dos noivos e da festa, mas nele precisam estar informações básicas do casamento

O convite é o que podemos dizer de porta de entrada do casamento, a primeira impressão que o convidado terá do grande dia dos noivos. Por isso, além de bonito, ele precisa ser informativo e retratar bem a proposta do evento e a personalidade e gostos do casal.

Para começar, o convite precisa conter, obrigatoriamente, os nomes dos noivos, data, horário e local da cerimônia e recepção. Essas informações devem ser divulgadas, de preferência, de 45 e 60 dias antes do evento. Portanto, o ideal é que os preparativos com a papelada comecem cerca de seis meses antes da data do casamento, para dar tempo de corrigir problemas de impressão ou alterar algum detalhe.

Escrito a mão

Caso os noivos prefiram um calígrafo para escrever os nomes dos convidados, é preciso antecipar mais ainda o processo para entregar os convites a ele com, pelo menos, três meses antes da data marcada. Também é importante enviar para o calígrafo 15% a mais de envelopes, para evitar erros com os nomes.

O conteúdo do convite

O que escrever na parte externa do convite traz uma série de dúvidas para muitos casais, por isso, algumas dicas se tornaram básicas e gerais. Se os noivos não conhecem o cônjuge nem os filhos do convidado, o melhor é dedicar ao “Sr. ou Sra. Nome do convidado e Família”.

O mesmo não se aplica a amigos próximos. Nesse caso, o ideal é perguntar o nome do acompanhante para incluir no convite. Filhos casados de convidados, seus tios e parentes próximos são outras famílias e, por isso, precisam de convites individuais. Os nomes dos pais não são obrigatórios, mas indicados para casais que queiram homenageá-los.

Dos noivos para o convite

Não há regras para o texto no corpo do convite, mas ele deve estar de acordo com o tipo de cerimônia, casual ou tradicional, por exemplo, e, especialmente, com o estilo dos noivos: religiosos, despojados ou modernos. E é nessa parte que os casais mais imprimem sua identidade no convite.

“São infinitas as possibilidades para se personalizar um convite. Pode ser através de um monograma, algum desenho que expresse a característica ou hobby do casal, letra de música que faz parte da história dos dois. Pode-se contar um pouco da história dos noivos. Qualquer detalhe pode servir de inspiração na criação do convite”, conta Camila Almeida, idealizadora da De Papel Passado.

A marca é especialista em criar convites personalizados e exclusivos. “Buscamos construir uma identidade para que o público se identifique nos nossos produtos. Trabalhamos com a personalização dos convites, para cada cliente buscamos criar um projeto exclusivo”, conta Camila.

Responda, por favor

O RSVP, abreviatura de Répondez S'il Vous Plaît, expressão francesa que significa “Responda, por favor”, é a forma mais utilizada para confirmar a presença dos convidados. Nele, os noivos pedem a confirmação da presença dos convidados no casamento. Assim, o casal consegue planejar melhor itens como espaço e buffet.

Segundo Camila, é importante que os noivos enfatizem a importância da confirmação de presença, para que haja maior participação dos convidados. “O RSVP pode ser o passivo, onde os noivos direcionam no convite um contato telefônico ou e-mail, ou mesmo o site do casal para que seja realizada a confirmação, e o ativo, onde os noivos ou a sua assessoria entra em contato com o convidado para verificar sua participação no evento”.

O ideal é os noivos optarem por uma das duas sugestões de Camila. Não é de bom tom eles ou os pais ligarem para os convidados.