Novo premiê da Turquia monta gabinete com aliados e promete mudar constituição

Geral

Novo premiê da Turquia monta gabinete com aliados e promete mudar constituição

Redação Folha Vitória

Istambul - O novo primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, promoveu algumas mudanças em seu gabinete e prometeu transferir os poderes executivos ao presidente Recep Tayyip Erdogan. Foram trocados nove ministros, mas os mais importantes mantiveram seus cargos.

A nova equipe de Yildirim inclui funcionários que ajudaram no crescimento econômico da Turquia desde que o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) chegou ao poder, em 2002. Yildirim, aliado de Erdogan, foi designado chefe do AKP no domingo.

O vice-primeiro ministro, Mehmet Simsek, o ministro de Finanças, Naci Abal, e o ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, mantiveram seus cargos. O ministro da Justiça, Bekir Bozdag e o ministro da Energia, Berat Albayrak, que é genro do primeiro-ministro, também foram mantidos.

Entre os novos ministros estão Omer Celik, um forte aliado de Erdogan que assumiu a pasta de Relações com a União Europeia, e Nihat Zeybekci, que retoma o ministério da Economia depois de deixar o gabinete nas eleições de novembro.

Yildirim disse que um dos focos de seu governo será a elaboração uma nova constituição, com o objetivo de dar mais autoridade ao primeiro-ministro Erdogan. Outra meta da gestão Yildirim é construir uma economia baseada na produção, com a intenção de aumentar os salários, além da erradicação da ameaça terrorista de separatistas curdos e do Estado Islâmico.

"É nosso dever alinhar a posição efetiva do nosso presidente com a constituição", disse Yildirim no seu primeiro discurso diante do Legislativo. "Que nosso governo seja bom e auspicioso para a nossa nação".

Membros do AKP e assessores do primeiro-ministro disseram que a administração de Yildirim sinaliza continuidade na elaboração de políticas enquanto o país lida com um novo conflito com separatistas curdos, com a crise dos refugiados nas fronteiras com a Síria e com o Iraque, bem como o papel da Turquia na lista contra o Estado Islâmico. Fonte: Dow Jones Newswires.