• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cai o número de adolescentes grávidas no Espírito Santo em dez anos

  • COMPARTILHE
Geral

Cai o número de adolescentes grávidas no Espírito Santo em dez anos

Na Serra, em 2015, 67 meninas entre 10 e 14 anos de idade tiveram bebês. Entre 15 e 19 anos, 1.293. Já em 2016, 1.090 meninas na mesma faixa etária foram mães. Entre 10 e 14 anos, foram 55

A quantidade de adolescentes grávidas no Espírito Santo vem reduzindo nos últimos anos e, entre 2005 e 2015 caiu 12% Foto: TV Vitória

O número de adolescentes grávidas vem diminuindo no Espírito Santo nos últimos dez anos. Projetos e trabalhos de conscientização estão entre os fatores que contribuíram para essa redução.  

Atualmente, Társila de Jesus dos Santos é técnica em enfermagem. Ela engravidou quanto tinha 16 anos e, na época, não imaginava a responsabilidade que teria pela frente. "Durante a gravidez, a ficha ainda não tinha caído. Mas depois que ele nasceu eu vi que tinham responsabilidades, cuidados, atenção. Não era apenas fazer um filho".

Társila afirma que as dificuldades da gravidez precoce foram muitas. A maior delas foi conciliar os estudos com as madrugadas acordada cuidando de um bebê. Ela superou a fase mais 'puxada' com o apoio da família.  

"Se não fossem eles, talvez eu não conseguiria ou demoraria a conseguir. Inclusive eu tive que largar a escola normal e tive que fazer o EJA para poder conseguir finalizar meus estudos com o apoio da minha mãe e do meu pai".   

A gravidez na adolescência é um tema que recebe atenção especial de profissionais de saúde e autoridades. Segundo a gerente de atenção primária à saúde da Serra, Karina Tápia, muitas vezes, a impulsividade e a ausência de medos, características da idade, acabam levando à situações sérias.  

"Os adolescentes estão cada vez mais precoces na atividade sexual, sendo que essa atividade precoce não vem acompanhada com uma maturidade a ponto dela estar se preocupando em estar se precavendo da gravidez. A gravidez é apenas uma consequência, mas tem coisas muito piores que são as doenças sexualmente transmissíveis". 

Números divulgados pelo Ministério da Saúde apontam um cenário bem otimista. A quantidade de adolescentes grávidas no Espírito Santo vem reduzindo nos últimos anos e, entre 2005 e 2015 caiu 12%. 

No município da Serra, em 2015, 67 meninas entre 10 e 14 anos de idade tiveram bebês. Entre 15 e 19 anos, 1.293. Já em 2016, 1.090 meninas na mesma faixa etária foram mães. Entre 10 e 14 anos, foram 55. 

Para Karina Tápia, a disponibilidade de métodos contraceptivos e os programas voltados para a adolescência dentro das escolas contribuiu para essa diminuição.  

"O município conta hoje com um programa chamado Programa Adolescente Cidadão e este programa está instalado em 15 unidades de ensino municipais em bairros onde há maior vulnerabilidade e isso eu acredito que tenha ajudado bastante na redução do índice".  

E a expectativa é que essa redução se mantenha. Mas para que isso realmente aconteça, é preciso que a família também participe da formação dos adolescentes.  

 "É importante que a família esteja inserida no processo e que ela se preocupe. Ela tem uma grande parcela em estar orientando seus filhos nessa fase que é tão vulnerável que é a da curiosidade".