• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mobilização contra exploração infantil é realizada em Anchieta

Geral

Mobilização contra exploração infantil é realizada em Anchieta

Ação acontece em todo país e no município os pedestres e os motoristas serão abordados por uma comitiva e receberão a flor que representa a campanha

A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/00 Foto: Reprodução

A Secretaria Municipal de Assistência Social de Anchieta vai promover nesta quinta-feira (18) uma mobilização para adesão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A iniciativa, que irá iniciar às 8h30, em frente à Prefeitura, pretende convocar e mobilizar a sociedade a participar da luta, evidenciando a importância de se prevenir, responsabilizar e denunciar os crimes contra crianças e adolescentes.

 A mobilização contará com a participação de usuários do Centro dos Idosos e do Centro de Referência da Assistência Social (Cras).  Músicas e cartazes irão complementar a mobilização, que irá ainda abordar motoristas e pedestres para entrega do símbolo da campanha (rosa amarela) e folder de orientação.

De acordo com a titular da pasta, Cláudia Simões Cardoso, a ação é uma forma de chamar a atenção da sociedade para uma luta constante em favor das crianças e adolescentes.  “Nosso objetivo é convocar todos anchietenses a participarem e aderirem a essa luta. Queremos que a sociedade assuma o compromisso de combate a violência sexual contra nossas crianças e adolescentes”, destacou.

Os organizadores solicitam aos participantes que usem camisas brancas. Conforme informações, a Secretaria de Assistência Social e o Centro de Referência da Assistência Social (Cras) não irão ter  expediente pela manhã neste dia, em virtude de todos servidores estarem participando do evento.

Histórico

O dia 18 de maio é o "Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes". A data foi instituída pela Lei Federal 9.970/00 e lembra um violento crime sexual que aconteceu em 1973, na cidade de Vitória, no Espírito Santo, contra uma menina de apenas oito anos, conhecido como "Caso Aracelli".

Os criminosos nunca foram responsabilizados. Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada em 18 de maio de 1973. Ela foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. O caso foi tomando espaço na mídia. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória (ES), poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

Símbolo

A campanha tem como símbolo uma flor, como uma lembrança dos desenhos da primeira infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança.