Número de Carteiras de Habilitação suspensas registram queda no Espírito Santo

Geral

Número de Carteiras de Habilitação suspensas registram queda no Espírito Santo

O número de habilitações suspensas caiu de 2014 até 2016, segundo o Detran. No ano passado, foram registradas 1.362 suspensões a menos que em 2015

Em 2014, mais de 28 mil motoristas receberam notificação de CNH suspensa Foto: ​Detran|ES

Em todo o Espírito Santo, 11.743 motoristas tiveram a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) suspensa por ultrapassarem o limite de infrações de trânsito do início do ano até agora. De acordo com dados do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES), no ano passado foram registradas 17.883 suspensões de carteiras, 1.362 a menos que em 2015 . O número vem caindo desde 2014, ano em que chegou a 28.850 CNHs suspensas.

Já as multas, o Detran-ES informou que aplicou quase 900 mil. Desse total, 500 mil foram só na Grande Vitória. Entre as dez maiores infrações cometidas estão ultrapassar o sinal vermelho e utilizar o celular ao volante.

Para que o infrator que perdeu a CNH tenha novamente o direito de dirigir, é necessário fazer o curso de reciclagem, que agora as aulas podem ser feitas à distância, pela internet. O estado é o primeiro Estado a adotar esse método junto com a biometria facial. 

“O Detran, dentro do Detran digital, possibilita o condutor infrator a realizar o seu curso de reciclagem à distância. O Detran está inovando, garantindo que o condutor infrator, que vai realizar esse curso, é realmente aquele condutor”, disse o diretor de habilitação do Detran, José Eduardo de Souza Oliveira.

De acordo com Oliveira, mesmo com a biometria facial sendo importante para seguir com o curso, nesses dois meses desde que a modalidade teve início, houve registro de aluno que teve o módulo bloqueado. 

“Nas três primeiras semanas que esse curso já estava à disposição, um condutor foi flagrado e teve a imagem bloqueada, porque quem estava na frente do computador era uma criança. Automaticamente é bloqueado aquele módulo, o condutor perde as aulas que ele fez, tem que logar novamente e realizar o módulo outra vez”, explicou o diretor. 

Desde o início desse modelo de curso, cerca de 60 condutores já realizaram a reciclagem à distância. “Como iniciamos no mês de abril, nesse período tivemos cerca de 60 condutores que realizaram esse curso. Desses 60, 23 já concluíram, realizaram a prova e foram aprovados. A prova é presencial. Todo curso de reciclagem pode ser feito o presencial no CFC, ou à distância. Após a conclusão, é lançado no sistema que ele concluiu as horas necessárias e está apto para realizar a prova. Ai ele entra no site do Detran, agenda a sua prova, que ainda é presencial”, destacou.  

Pioneiro 

Segundo o diretor do Instituto Tecnológico de Trânsito (ITT), Renato Gama Monteiro, essa tecnologia de biometria facial para esse tipo de serviço é pioneira no Brasil. Apenas no Espírito Santo esse tipo de identificação para o curso de reciclagem de condutores é adotado. “O único Estado do Brasil que usa essa tecnologia é o Espírito Santo. É algo pioneira para esse tipo de serviço. O uso da biometria facial garante que o mesmo motorista que entregou a carteira no Detran é o que está fazendo as aulas”, afirmou o Monteiro.

Monteiro esclareceu ainda que é necessário que o motorista tenha um computador com webcam para poder fazer o curso. Isso porque a todo momento, durante as aulas, o sistema vai pedir para que o aluno faça a biometria facial. "Durante o curso aparece a câmera para verificar se é uma pessoa viva que está fazendo. No momento em que é pedido para que ela olhe para a câmera, se for outra pessoa o sistema trava e informa ao Detran. Com isso, a pessoa precisa voltar ao início do curso. Essa janela que pede a identificação pode abrir diversas vezes durante uma aula", apontou.

Na próxima terça-feira (30), o diretor do ITT está na redação do Folha Vitória para uma entrevista ao vivo, às 15h30. Ela será exibida através de uma live no Facebook do jornal.