Educação pode mudar realidade de jovens em bairros violentos no ES

TRANSFORMAÇÃO

Geral

Educação pode mudar realidade de jovens em bairros violentos no ES

A oportunidade ocorre por meio do Nossa Bolsa, que destina 20% das vagas aos participantes do Ocupação Social.

Jefferson Pereira está entre o grupo de 20% que realizará o sonho de acessar o Ensino Superior

No bairro Flexal, em Cariacica, onde muitos jovens estão sensíveis à violência, um exemplo mostra que é possível fugir desse cenário. Jefferson Pereira Franco, de 19 anos, morador do bairro, é um dos jovens que realizará o sonho de acessar o Ensino Superior.

A oportunidade ocorre por meio do programa Nossa Bolsa, que destina 20% das vagas aos participantes do Ocupação Social. São cerca de 116 jovens estudantes, moradores de 26 bairros de nove cidades do Espírito Santo, atendidos pelo programa Ocupação Social, que são contemplados com bolsas de estudos de 100% em faculdades particulares. 

Este é o primeiro ano em que ocorre essa ponte entre Ocupação Social e Nossa Bolsa para o acesso de jovens - que estão em áreas de vulnerabilidade - a um curso de nível superior. "Nem todo mundo teve a mesma oportunidade, por isso que eu aproveitei. Não é todo mundo que consegue ingressar em uma faculdade, ainda mais vindo de onde eu vim", comenta Jefferson.

O bairro onde o estudante mora faz parte dos que são atendidos pelo Ocupação Social. Em Flexal, mais de 17% da população vive com até um salário mínimo e a grande parte dos moradores não têm condições de prestar vestibular e ingressar na faculdade.

Ocupação Social abre oportunidades para jovens de bairros violentos no ES

O Programa Ocupação Social é coordenado pela Secretaria de Direitos Humanos (SEDH), que atua nas áreas de maior vulnerabilidade social e, consequentemente, que concentram o maior número de homicídios, em especial o de jovens. Para quem faz parte do programa e quer ter acesso à bolsa de estudos por meio do Nossa Bolsa, é necessário fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

De acordo com os dados que deram origem ao programa, em 2015, aproximadamente 40% das vítimas de homicídios no Espírito Santo eram de jovens com idade entre 15 e 24 anos, com esse percentual passando de 50% nos bairros mais atingidos historicamente com a violência.

Os dados levaram em consideração o número total de homicídios registrados no Espírito Santo nos últimos cinco anos (2010 a 2015), e que direcionaram o Ocupação Social, inicialmente, para os 25 bairros que concentravam alta vulnerabilidade social. Bairro da Penha, em Vitória, foi incluído depois, em 2017.

Abrangência

Os 26 bairros atendidos atualmente são: Nova Palestina e Bairro da Penha, de Vitória; Barramares, Ulisses Guimarães, Boa Vista (I e II), São Torquato e Santa Rita, de Vila Velha; Feu Rosa, Vila Nova de Colares, Jardim Carapina, Novo Horizonte, Planalto Serrano, Central Carapina e Bairro das Laranjeiras, da Serra; Castelo Branco, Nova Rosa da Penha, Flexal II e Nova Esperança, de Cariacica; Zumbi, de Cachoeiro de Itapemirim; Ayrton Senna e Bela Vista, de Colatina; Interlagos e Aviso, de Linhares; Vila Nova e Bom Sucesso, de São Mateus; e parte urbana de Pinheiros.